Projeto Futuro plantou 106 mil árvores na Área Metropolitana do Porto

Projeto 100 Mil Árvores - novembro 2018

O Projeto Futuro apresentou resultados na AMP / Foto: Direitos Reservados

O Futuro – projeto das 100 mil árvores na Área Metropolitana do Porto (AMP) – plantou, ao longo de oito anos de intervenção, 106 mil árvores nativas em 174 hectares de terreno. Gondomar esteve associado à iniciativa.

A intervenção do FUTURO na AMP correspondeu à eliminação de 55 toneladas de poluentes da atmosfera por ano. Esta foi a principal conclusão da iniciativa, após oito anos de intervenção.

O projeto contou com o envolvimento dos 17 municípios da AMP, mais de 16 mil voluntários e já conquistou quatro prémios nacionais e internacionais. Este relatório foi compilado no livro “Oito anos e 100 mil árvores nativas depois”, apresentado este mês, no campus Foz da Universidade Católica, no Porto.

De acordo com Isabel Braga da Cruz, presidente do Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa, a “participação no FUTURO tem vindo a traduzir-se num real impacto na sociedade”, acrescentando que “o projeto das 100 mil árvores contribuiu, assim, para a sustentabilidade ambiental e respetivo impacto na saúde e bem-estar geral”.

A este nível, destaque-se, por exemplo, a requalificação de cerca de 50 áreas de interesse turístico e de lazer e, ainda, a atração de cerca de 400 mil euros para as áreas intervencionadas.

A sessão de apresentação do livro esteve a cargo de Marta Pinto. De acordo com a coordenadora do Grupo de Estudos Ambientais da Católica no Porto, o sucesso da iniciativa deveu-se a “uma verdadeira sinergia metropolitana, que devolveu resultados muito positivos na gestão do território, da paisagem, e da cidadania”.

Refira-se, ainda, que após várias distinções internacionais, o FUTURO arrecadou, em 2017, o prémio nacional “O Norte Somos Nós”, na categoria de Sustentabilidade.

, ,