Rafael Amorim quer ultrapassar “questões do metro e da dívida”

Rafael Amorim - setembro 2017

Rafael Amorim é o candidato da coligação PSD/CDS-PP à Câmara de Gondomar / Foto: Direitos Reservados

Rafael Amorim, candidato da coligação PSD/CDS-PP à Câmara de Gondomar, defende um “pacto de regime” para resolver prolongamento do metro e dívida do Município.

“Não conseguimos discutir propostas e outros programas se não ultrapassarmos as questões do metro e dívida. E para ambas proponho um pacto de regime com todos os partidos. É pena que nenhum se esteja a mostrar recetivo. É pena porque é preciso ultrapassar isto e começar a pensar Gondomar de forma mais positiva”, disse o candidato.

No que diz respeito ao metro, Rafael Amorim defende a união dos partidos para reivindicar a chegada da linha ao centro do concelho e em relação à dívida pede “concertação”, enquanto sugere “menos obra e menos eventos e pagamento de dívida sem cortar nas prestações sociais”.

Segundo o candidato, “é possível incluir neste quadro comunitário de apoio a ligação de metro Fânzeres/S. Cosme)”, mas para isso diz ser necessária “uma reivindicação forte junto do Governo, convencendo-o a reavaliar as prioridades anunciadas para Gaia e Porto”.

Quanto à dívida, Rafael Amorim acusa o atual presidente do Município e recandidato pelo PS de estar a “mentir” sobre os valores de redução. “A dívida da câmara em 2013 era de 111 milhões de euros. Neste momento é de 100 milhões de euros. São os documentos oficiais da autarquia que o dizem. A redução da dívida, a ter ocorrido, foi de 11 milhões de euros”, aponta o candidato do PSD/CDS-PP.

, , , , ,