Resíduos perigosos: S. Pedro da Cova quer reunião urgente com Ministério do Ambiente

Resíduos camião

Daniel Vieira quer clarificar quantas toneladas de resíduos perigosos estão a ser removidas e qual o “futuro imediato” do local / Foto: Ricardo Vieira Caldas

As perguntas são claras: “Confirmam-se as estimativas e a quantidade de resíduos contratualizada com a empresa responsável pela remoção? Qual o plano imediato de intervenção para a área de onde estão a serem retirados milhares de toneladas de resíduos perigosos?” São estas as questões para as quais a União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova quer respostas. A autarquia solicitou por isso, no dia 16 de março, uma reunião de caracter urgente ao Ministério do Ambiente.

“Lembramos que o processo de remoção dos resíduos perigosos de São Pedro da Cova é resultado de uma longa luta travada pela população da freguesia, pelo que é fundamental clarificar e esclarecer todas as dúvidas suscitadas, designadamente no que diz respeito à quantidade de resíduos perigosos existentes no local. Assim, consideramos que o LNEC, enquanto consultor técnico, deve confirmar a efetiva quantidade de resíduos existentes”, lê-se no comunicado enviado às redações pela autarquia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente, Daniel Vieira, indicou que o pedido “de caracter urgente” foi feito, via carta, nesta segunda-feira, porque, disse, “o processo de remoção está na fase final, pelo que não se pode correr o risco de que corra mal”.

A UF de Fânzeres e S. Pedro da Cova refere que “os resultados alcançados até o momento demonstram que valeu a pena a luta travada, pelo que esta Junta de Freguesia continuará a envidar todos os esforços, considerando todas as formas de luta, para que este grave atentado ambiental fique cabalmente resolvido e que a população seja efetivamente compensada por este problema imerecido.”

, , , , , ,