Rio Tinto assinalou centenário do armistício da Grande Guerra

Centenário Armistício - novembro 2018

A Junta de Rio Tinto assinalou o centenário do fim da Grande Guerra / Foto: Pedro Santos Ferreira

A Junta de Freguesia de Rio Tinto assinalou, no dia 11 de novembro, o centenário do armistício da I Guerra Mundial, junto do Jazigo dos Soldados da Pátria, no cemitério n.º 1 da freguesia.

No dia 30 de outubro de 1918, era assinado o armistício que punha fim a quatro anos de conflito armado (1914 – 1918) da I Guerra Mundial, o maior até então. Foi precisamente essa efeméride que a Junta de Freguesia de Rio Tinto assinalou no início deste mês, no cemitério n.º 1 da freguesia. A cerimónia ficou marcada com uma homenagem desta autarquia aos combatentes de Rio Tinto que marcaram presença na Grande Guerra.

“Em 2014, estivemos neste local a inaugurar o jazigo dos Soldados da Pátria, pela altura do centésimo aniversário do início da I Guerra Mundial. Hoje temos muito mais a lembrar do que há quatro anos. Lembrar e comemorar o fim de uma guerra, assinatura de um armistício é sempre melhor do que lembrar o início de um conflito armado”, afirmou Nuno Fonseca, presidente da Junta de Rio Tinto, em discurso.

“Nesta data lembramos todos aqueles riotintenses que sofreram as amarguras deste conflito bélico, e alastramos a nossa lembrança e o nosso respeito não só aos riotintenses como aos milhões que por esse mundo fora sofreram neste conflito e em todos aqueles que ocorreram depois deste”, recordou o autarca.

A I Guerra Mundial contabilizou um total de nove milhões de soldados mortos, 21 milhões de soldados feridos e cerca de  oito milhões de vítimas mortais civis.

“Para nunca esquecermos, para nunca mais repetirmos, que estas lembranças fiquem para sempre gravadas em nós, como os nomes dos nossos soldados gravados ali na pedra dura do jazigo dos soldados da pátria”, concluiu Nuno Fonseca antes de rumar ao jazigo dos Soldados da Pátria.

, , , ,