Rota da Filigrana recebeu mais de seis mil visitantes

Rota da Filigrana - março 2017

A Rota da Filigrana recebeu mais de seis mil visitantes / Foto: Pedro Santos Ferreira

A Rota da Filigrana completa, este mês, um ano de atividade. Ao Vivacidade, Carlos Brás, vereador do Turismo da autarquia gondomarense, considera o produto turístico do Município “uma aposta ganha”.

A apresentação pública da Rota da Filigrana realizou-se a 2 de março do ano passado. Um ano após o primeiro passo para a criação do produto turístico da Câmara Municipal de Gondomar, Carlos Brás, vereador do Turismo do Município, mostra-se orgulhoso com o “sucesso alcançado”.

“É provavelmente a melhor criação turística que transforma um produto económico em turismo, neste caso a ourivesaria e a filigrana. As grandes vantagens associadas à Rota da Filigrana são a capacidade de adaptação à procura e a realização de workshops que dão a conhecer o processo produtivo”, afirma o vereador.

A Rota da Filigrana permite aos visitantes ver como é feita a fundição do ouro, o interior e exterior das peças, entre outros processos. O percurso conta com a parceria de seis oficinas, do CINDOR – Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria e da Casa Branca de Gramido.

“As empresas deste setor estão a perceber que o turismo pode ser uma fonte de receita interessante e estão a investir em equipamentos para receber turistas. As visitas que realizamos têm resultado na venda de peças após a visita aos fabricantes e isso é muito positivo”, aponta Carlos Brás.

Numa primeira fase, segundo o vereador, está em causa a “divulgação nacional do produto”, que já passou por diversas feiras e eventos ligadas ao turismo como, por exemplo, a Bolsa de Turismo de Lisboa, Porto Welcome Center e PortoJóia.

“Estamos numa fase de divulgação nacional do produto, depois queremos avançar para a fase de consolidação da Rota da Filigrana, tendo como objetivo a introdução do produto nas principais agências de viagem”, acrescenta Carlos Brás.

Ao nosso jornal, o autarca indica um investimento superior a 7.500 euros, que terá trazido um retorno financeiro na ordem dos 25 mil euros aos agentes envolvidos no produto turístico.

No primeiro ano de atividade, a Rota da Filigrana recebeu mais de seis mil visitantes.

, , , ,