São Pedro da Cova recorda necessidade de remoção total dos resíduos perigosos

Daniel Vieira com Grupo Parlamentar do BE - novembro 2015

Daniel Vieira em conversações com o Bloco de Esquerda / Foto: DR

A 26 de outubro o presidente da Junta de São Pedro da Cova endereçou a todos os grupos parlamentares da Assembleia da República (AR) uma carta onde exige a remoção dos resíduos perigosos existentes na freguesia. Ao Vivacidade, Daniel Vieira classifica como “positiva” a disponibilidade das diferentes forças partidárias da AR.

No primeiro dia após a tomada de posse da AR o presidente da Junta de Freguesia de São Pedro da Cova recordou através de uma carta dirigida aos diversos grupos parlamentares a “necessidade de lutar pela remoção total dos resíduos de S. Pedro da Cova e pela recuperação de toda a área afetada” pelos materiais provenientes da extinta fábrica da Maia da Siderurgia Nacional.

Após ter sido recebido por todas as bancadas à exceção do PSD e CDS – que já demonstraram a sua disponibilidade – Daniel Vieira, presidente da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova, mostra-se satisfeito pela “disponibilidade e interesse das diferentes bancadas parlamentares” na remoção total dos resíduos depositados na freguesia mineira.

“Registamos uma melhoria no acompanhamento e interesse demonstrado pelos deputados, transversal a todas as bancadas parlamentares”, afirma o autarca que reconhece que o atual clima de instabilidade política “pode complicar uma decisão nos próximos tempos”.

No entanto, Daniel Vieira revela que foi assumido o compromisso “que mal haja condições a AR tomará uma decisão sobre esta matéria”. O presidente da Junta de São Pedro da Cova espera ver concretizada a operação de remoção dos resíduos perigosos acompanhada de uma “compensação ambiental e cultural do espaço afetado” e promete manter-se empenhado em prol dos desejos da população são pedrense. “Não vamos permitir que o assunto seja esquecido ou silenciado”, conclui o autarca.

, , , ,