Sociedade Protetora dos Animais insiste na construção do canil em Baguim do Monte e quer indemnização

O primeiro começa logo por esclarecer ao Vivacidade: “Nós não somos contra os animais”. Mas “primeiro temos que ter em conta os humanos”, refere Aníbal Queijo. Se dúvidas houvesse, o segundo, Simão Sousa, exibe o seu cartão de filiação ao Partido Pelos Animais e Pela Natureza (PAN). “Sou o filiado número 600 do PAN. A SPAP não gosta mais de animais do que nós”, afirma. “Quase todos os moradores da Quinta da Missilva têm animais. A SPAP está a tentar criar uma guerra com os moradores e é complicado porque cria-se um braço de ferro e depois não haverá mais sossego. Eu contraí um empréstimo para comprar uma habitação. É o meu património que vai ser desvalorizado. Vão mexer no meu património, em algo que luto todos os dias para o meu filho e vou ter que imputar essa responsabilidade a alguém”, remata Simão.

“Antes de se criar ali um conflito e uma situação insustentável existem alternativas. Gondomar tem muitos terrenos onde o conflito entre humanos e animais não existe. Ali existem linhas de água, nasce lá o rio Torto”, adverte o outro morador, Aníbal Queijo. “A SPAP comprou o terreno e isso foi uma opção. Nós não temos que aceitar nada. Já lá estávamos antes. Quando compraram assumiram um risco”, diz ainda Simão Sousa.

Já Ermelinda Martins, explica ao Vivacidade que está a perder dinheiro todos os dias e que o valor da indeminização que “vai exigir” já vai “nos milhares de euros”. Se tiver licença para construir na Quinta da Missilva, esclarece que não vai hesitar. “A população pode revoltar-se mas penso que a polícia em Portugal ainda funciona. Se tivermos o projeto aprovado com a licença e pudermos construir, pode vir toda a gente da Quinta da Missilva porque eu chamo toda a polícia para os tirar de lá”, afirma. Contudo, poderá haver algumas cedências por parte da SPAP. “Estamos dispostos a discutir com o presidente da Câmara e a ouvir sugestões que passem por colocar árvores e barreiras sonoras”, explica por fim.

Qual o futuro para os animais da SPAP?

Com ou sem canil em Baguim do Monte, os cerca de 800 cães e 100 gatos depositados em pequenas jaulas vivem atualmente em condições desfavoráveis, num edifício velho em alto estado de degradação, humidade e sujidade, localizado no antigo matadouro da cidade do Porto, em S. Roque. Por agora, resta aos canídeos e felídeos esperarem por uma decisão do Tribunal ou por um entendimento da SPAP, Câmara de Gondomar e baguinenses.

, , , , , ,