Mercado de Artesanato, usados e velharias em Foz do Sousa

Em todos os segundos domingos de cada mês, o Parque de Merendas Sto. Amaro em Foz do Sousa, acolhe o Mercado de artesanato, velharias e usados.

Inaugurado a dia 12 de maio, o Mercado de artesanato, velharias e usados em Foz de Sousa surgiu com o objetivo de aproveitar um largo na região com potencial turístico, capaz de atrair várias pessoas ao local.

A ideia surgiu através de Carlos Gonçalves, residente local que andava inquieto após a sua reforma e que sentiu a necessidade de “dar vida a um local espaçoso e agradavelmente fresco no verão e com uma envolvente histórica muito forte na Freguesia”.

Carlos Gonçalves recordou que a inauguração o deixou “muito feliz” e que a mesma “excedeu todas as expectativas”. “Muita gente e muita festa com um grupo de Bombos a animar e todos os meus amigos apareceram. Os Autarcas acompanharam na inauguração, o Senhor Vereador José Fernando Moreira, o presidente da Junta Isidro de Sousa, o Tesoureiro António Campos e o Sr. Silvino. Foram ainda convidados todos os partidos e Movimento com assento na Assembleia de Freguesia, que também fizeram o favor de estar presentes”.

A nível de apoio, tem “um ou outro caso pontual de ajuda”, mas defende que “com vontade e pouco dinheiro faz-se muita coisa”. “O Presidente da Junta vai ajudando numa outra coisa. Não posso deixar de referir a ajuda do Armando Paiva que ofereceu o Painel publicitário”.

A adesão ao Mercado “tem sido satisfatória” e Carlos está convencido que a partir do momento em que a informação chegue a um maior número de pessoas, mais pessoas irão aderir, já que se trata de um local “agradável, espaçoso e sem problema de estacionamento”.

Para já, o evento realiza-se apenas no segundo domingo de cada mês para não “arriscar”, no entanto se o nível de adesão mantiver o mesmo, poderá passar a realizar-se de 15 em 15 dias já para o próximo ano.

Desde a inauguração do Mercado de artesanato, velharias e usados até agora, Carlos Gonçalves fala de um balanço positivo, mas com aspetos ainda a melhorar. “Precisamos de um WC, um pequeno palco para promovermos alguma animação e limpeza mais cuidada das margens do rio”, finalizou.

,