“Sport 4 all” é o único projeto português e um dos 15 finalistas europeus a representar o Corpo Europeu de Solidariedade entre 5000 candidatos

A Associação Social de Silveirinhos (ARCSS), candidatou-se para representar e ser a imagem do Corpo Europeu de Solidariedade e o projeto “Sport 4 all” foi um dos 15 finalistas escolhidos entre 5000 candidatos europeus.

“Sport 4 all”, como o próprio nome indica, consiste em desporto para todos e trata-se de um projeto integrado no Corpo Europeu da Solidariedade que dá aos jovens a oportunidade de fazer voluntariado ou de trabalhar em projetos, no próprio país ou no estrangeiro, em benefício de pessoas e comunidades de toda a Europa. Esta nova iniciativa da União Europeia foi “agarrada” pela ARCSS, que recebeu no passado dia 17 de outubro um representante da Comissão Europeia que visitou o espaço para recolher imagens e informação sobre o projeto “Sport 4 all”, desenvolvido pelo jovem André Pinto.

André Pinto já estava ligado à associação ainda antes do seu projeto arrancar em março, onde desempenhava as funções de técnico desportivo, era responsável pelas candidaturas a projetos de Erasmus, bem como de toda a logística de organização de eventos. “O projeto também existe para dar um apoio à contratação, no meu caso específico o projeto deu uma verba para apoiar a instituição, apoiar a contratação e para fazer um contrato de trabalho normal”, esclareceu.

O projeto “Sports 4 all” alberga um grupo de 18 a 20 a participantes com deficiências ou doenças mentais e André Pinto explicou como o desporto, bem como a dança, o teatro e a música são um veículo que levam à melhoria no processo de integração deles. “Temos o António que é surdo, por exemplo, a Dulce não tem as pernas e é invisual. O António quando chegou cá estava num grau de obesidade elevado agora já emagreceu e perdeu cerca de 8-9 quilos. A Dulce quando chegou aqui nem conseguia andar na cadeira sozinha precisava de alguém a lhe empurrar agora sai e desce da cadeira sozinha, veste-se sozinha e faz a higiene pessoal sozinha”.

Para realizar os treinos e as avaliações, André Pinto esclareceu qual a metodologia de trabalho adotada. “Nós temos valores de referência de pessoas que não têm deficiências ou limitações e quando nós fazemos os testes de educação física e de aptidão com eles, comparamos os valores, vemos que há uma diferença um pouco notória e nas reavaliações que fazemos de 2 em 2 meses, temos vindo a notar uma curva de melhoria a aproximarem-se dos valores ditos “normais””.

Para além da Educação Física, a associação dispõe de um vasto leque de atividades como a natação, Hipoterapia e jogos tradicionais adaptados, que contribuem para que os seus participantes melhorem em todos os níveis. André Pinto revelou ainda que criou a sua própria associação que se encontra integrada na sede, a Aventur. “É uma associação exclusiva para a promoção do desporto, da mobilidade e da aventura e também desenvolvemos projetos ligados ao desporto, organização de eventos, apoio a jovens que estão em situações menos favoráveis e querem continuar a estudar”.

 “Sports 4 all” que arrancou em março, termina em março do próximo ano e André Pinto acredita que é um projeto com grande margem de progressão, uma vez que “para além de ter ganho a distinção entre milhares de projetos, já começou a ser replicado por outras entidades”. ■

, ,