Tapetes florais vão colorir procissões em honra dos santos populares de Fânzeres

Tapete em honra do Padroeiro S. Tiago/Foto: Direitos Reservados

Tapete em honra do Padroeiro S. Tiago/Foto: Direitos Reservados

Em Fânzeres já se preparam as festas em honra dos santos populares. Pela vila multiplicam-se os grupos envolvidos nas solenidades e na preparação dos tapetes florais, uma tradição com mais de meio século na freguesia. Ao Vivacidade, os cinco grupos explicam o trabalho necessário para colorir as principais artérias da vila fanzerense com flores, especiarias e outros produtos.

Para Elisa Gomes e Fátima Pinto, a arte de enfeitar as ruas com o auxílio das flores já não é novidade. Desde 1965, que o grupo em que estão inseridas faz as honras ao Divino Salvador, santo padroeiro da freguesia. “Nos últimos anos temos variado os desenhos florais que envolvem milhares e milhares de flores. Desde 2005 que fazemos os tapetes da Igreja até ao cruzamento do Centro Republicano e Democrático de Fânzeres e a partir daí os outros grupos dão continuidade ao nosso trabalho”, explica Fátima Pinto.

O grupo começa a preparar as flores e as verduras com um mês de antecedência mas é na madrugada que antecede a procissão que são desenhados e montados os tapetes florais. “Todos os anos dizemos que vamos deixar de participar nesta tradição mas não conseguimos abdicar disto”, refere a conterrânea Elisa Gomes.

Ao grupo de Alcina Oliveira e Bibiana Silva cabe a tarefa de continuar o trabalho da equipa anterior. Durante o dia cortam-se os verdes e pela noite tratam-se as flores com a ajuda dos cerca de 30 voluntários que compõem o coletivo. “Estamos habituadas a participar na realização dos tapetes. Estou casada há 25 anos e lembro-me que nessa altura já existia esta tradição”, realça Alcina Oliveira ao Vivacidade.

Já Bibiana Silva lamenta as condições da rua “envelhecida e pouco uniforme” mas sublinha a participação dos jovens nesta tradição.

Da Travesa de Santa Bárbara à Rua de Santa Bárbara a preparação dos tapetes são da responsabilidade do grupo de Emília Silva e Marlene Jesus que ainda mantém a tradição. “Esperamos que esta tradição nunca acabe porque é motivo de grande orgulho”, destacam as porta-vozes do grupo composto por 15 pessoas.

Otília Oliveira e Luísa Mendes, inseridas no grupo responsável por colorir o percurso entre a Igreja e o Largo Júlio Dinis [percurso que termina na rua de Santa Bárbara] participam na tradição há seis anos em honra do padroeiro S. Tiago e das festas à Srª. Auxiliadora, Stª. Bárbara e S. Vicente e compõem os moldes com diversos produtos como o sal, café, flores e verduras recolhidas na Associação do Moradores de Santa Bárbara.

Por fim, Aurora Nunes, representante do grupo que completa a última parte do percurso, também não esquece a tradição e mostra-se satsisfeita com o apoio prestado pela União de Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova. Nos últimos anos, a autarquia suportou financeiramente parte dos custos associados à preparação dos tapetes florais.

De 3 a 5 de julho, Fânzeres recebe as Festas em Honra da Srª Auxiliadora, Santa Bárbara e S. Vicente. S. Tiago e Santa Luzia, celebram-se de 24 a 26 do mesmo mês e as festividades em honra do Divino Salvador são de 7 a 9 de agosto.

Junta e paróquia enaltecem esforço da comunidade

Maria José Cardoso, secretária da UF de Fânzeres e S. Pedro da Cova, tem acompanhado os trabalhos dos grupos envolvidos na preparação dos tapetes florais de Fânzeres e salienta o envolvimento da população. “No ano passado a junta já apoiou a realização dos tapetes florais mas este ano a nossa aposta é maior. Queremos envolver cada vez mais a comunidade nestas tradições e para isso contamos com a ajuda da paróquia que fez um grande apelo para a participação nos tapetes florais”, explica a representante da Junta ao Vivacidade.

Para o padre Andrade, da paróquia de Fânzeres, a tradição “está a ser conservada” através do apoio voluntário dos populares. “No início de julho temos a primeira festa e os tapetes vão embelezar a procissão. A paróquia não dá apoio financeiro mas tem dado apoio logístico aos grupos que participam nos tapetes florais”, refere o sacerdote.

, , , ,