Tum Tum Tum quer empregar 120 jovens através da música

Ensaios Projeto Tum Tum Tum

O projeto vai operar no Liceu Martim Fernandes / Foto: DR

O som dos instrumentos musicais dá nome ao mais recente projeto alojado no antigo Liceu Martim Fernandes, em Rio Tinto. O Tum Tum Tum tem como objetivo empregar 120 jovens dos 18 aos 30 anos num prazo de três anos de intervenção.

“Este projeto surge no seguimento da aposta na inclusão social através da arte, consequência do Projet’Arte e do Xilobaldes, que se tornou um projeto piloto deste Tum Tum Tum”, começa por explicar Hélder Nogueira, mentor do mais recente projeto instalado no Liceu Martim Fernandes.

O Tum Tum Tum apresenta como objetivo geral a promoção da inclusão social de jovens dos 18 aos 30 anos através de estratégias de intervenção artísticas que potenciem o desenvolvimento de competências pessoais, sociais e de empregabilidade.

Para o efeito, vão estar disponíveis quatro polos do projeto situados em Rio Tinto, em São Pedro da Cova, em Foz do Sousa e no Centro de Reabilitação da Areosa.

“Este projeto tem a duração prevista de três anos, mas como promotores diretos não queremos sair de Gondomar. Esperamos que os nossos primeiros formandos deem depois origem a novos grupos dispersos pela Área Metropolitana do Porto”, afirma Hélder Nogueira.

O Tum Tum Tum tem como público-alvo 120 participantes diretos em situação de desemprego e 150 participantes indiretos em situação de vulnerabilidade social.

Os materiais reaproveitados (baldes de tinta, cabos de vassouras, varetas de guarda-chuvas, entre outros objetos) dão origem aos instrumentos musicais do grupo, à semelhança dos que são utilizados pelo Xilobaldes, projeto que empregou 18 dos 20 membros iniciais.

Para os jovens que decidam integrar o Tum Tum Tum estão previstas quatro possibilidades: integração em emprego ou formação profissional, inclusão nas oficinas de música, integração no curso de formação de monitores certificado e financiado pelo IEFP ou inclusão no grupo performativo Xilobaldes.

Segundo Hélder Nogueira, a porta está aberta a todos. “Podemos incluir qualquer jovem independentemente das suas características físicas ou cognitivas. Não há entraves”, conclui o mentor do projeto.

O Tum Tum Tum tem como entidade promotora o Centro Social de Soutelo e é financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian no âmbito do programa PARTIS – Práticas Artísticas para Inclusão Social.

, , , , , ,