“Vai Avante” debate lei do Associativismo Juvenil

Uma mesa redonda ancorada nos “impactos da proposta de lei do Associativismo Juvenil” – Foto: Pedro Santos Ferreira

No dia 16 de julho, a Associação “Vai Avante” promoveu uma mesa redonda sobre o tema “Os impactos da proposta de lei do Associativismo Juvenil”, no auditório do CINDOR.

A Associação “Vai Avante” convidou Tiago Rego, presidente da Federação Nacional das Associações Juvenis, Hugo Carvalho, do grupo parlamentar do PS, Francisca Goulart, do grupo parlamentar do PCP e Mariana Silva, membro do Conselho Nacional do Partido “Os Verdes”, para debater a nova proposta do Governo para a lei do Associativismo Juvenil.

A iniciativa teve lugar no auditório do CINDOR e teve como objetivo avaliar o impacto das alterações propostas pelo Estado ao associativismo jovem. “Já fomos ouvidos na Assembleia da República e já expusemos as nossas preocupações e anseios. A falta de auscultação das associações juvenis durante este processo é talvez a sua falha mais grave”, apontou Tiago Rego.

Por sua vez, Hugo Carvalho considerou a discussão de “grande relevância” e alertou para a necessidade de renovação dos líderes das associações juvenis, fenómeno que lamentou não ocorrer com tanta frequência “nos últimos 10 anos”.

Já Francisca Goulart recuperou a tese de Tiago Rego e afirmou que a proposta de lei não pode avançar “sem auscultar as associações juvenis”. “Esta lei não espelha o conjunto de necessidades e reivindicações do movimento associativo”, criticou a comunista. A mesa redonda prosseguiu depois com a intervenção do público.

“Vai Avante” inaugurou novas instalações

No dia 30 de junho, a Associação “Vai Avante” inaugurou a mais recente ampliação de instalações, antes da Festa de Final de Ano Letivo. “Hoje damos mais condições à associação para que os nossos técnicos e funcionários possam ter melhores condições de trabalho”, disse Fernando Duarte, presidente da direção do “Vai Avante”.

, ,