Vigília garante consultas a Maria do Céu

Vigília à porta do Hospital de S. João, no Porto / Direitos Reservados

Vigília à porta do Hospital de S. João, no Porto / Direitos Reservados

No dia 21 de fevereiro decorreu uma vigília à porta do Hospital de S. João, no Porto. Após o protesto, a administração da unidade hospitalar garantiu a Maria do Céu consultas em várias valências.

Por José Pedro Oliveira

Exatamente um ano antes, a Maria do Céu foi operada numa intervenção que previa 99% de sucesso. Todavia, tudo correu mal e a jovem de 18 anos (17 no dia da operação) ficou com 99% de incapacidade.

Passado um ano, Maria foi quase esquecida pelo hospital. Manuela Oliveira, professora e um dos rostos por trás da campanha de ajuda à jovem, afirmou ao Vivacidade, que o S. João não a está ajudar. “Acima de tudo os pais querem um hospital mais presente e querem que ela tenha uma fisioterapia constante. Ela não a tem, apenas faz 15 a 30 minutos por dia. Querem uns cuidados mais intensivos e querem o melhor para a filha”, confessou.

Com faixas e cartazes a pedir a atenção do hospital, os presentes pediram para “Não deixarem morrer a Maria!”. Manuela Oliveira afirmou que a vigília teve como objetivo “chamar a atenção ao hospital para mudar de atitude perante a Maria do Céu”.

Como resultado da vigília, o hospital marcou consultas em várias valências e prometeu levar Maria ao Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão.

, , ,