Virgínia de Moura lembrada em exposição no Centro Cultural de Rio Tinto

A exposição pode ser visitada até dia 23 de maio no Centro Cultural / Direitos Reservados

A exposição pode ser visitada até dia 23 de maio no Centro Cultural / Direitos Reservados

Foi inaugurada a 9 de maio, uma Exposição Evocativa do Centenário do Nascimento de Virgínia de Moura, no Centro Cultural Amália Rodrigues, em Rio Tinto.

A exposição da militante comunista, destacada resistente antifascista e defensora dos direitos das mulheres está patente até ao dia 23 de maio e foi cedida pelo Partido Comunista Português.

A organização da exposição é da Câmara Municipal de Gondomar (CMG) e contou com a presença de muitos militantes e simpatizantes do PCP, bem como de representantes da Junta de Freguesia de Rio Tinto, da CMG, representada pelo vice-presidente e responsável pelo pelouro da cultura, Luís Filipe Araújo, e de Jaime Toga, da Comissão Política do PCP.

O vice-presidente da CMG, intervindo na abertura da exposição, destacou o passado antifascista de Virgínia de Moura, o seu abnegado exemplo de coragem e tenacidade no combate pela liberdade e a sua estreita ligação ao concelho e a Rio Tinto.

Por sua vez, Jaime Toga, da Comissão Política, valorizou a exposição e o contributo que dá para o “reconhecimento, valorização e divulgação da vida, obra e luta desta mulher singular da história do século XX do nosso país”.

Após o seu encerramento em Rio Tinto, a exposição percorrerá outras localidades e instituições. O momento central da homenagem a Virgínia de Moura terá lugar a 18 de julho, com uma sessão evocativa na Fundação Engenheiro António de Almeida, no Porto, com a presença de Jerónimo de Sousa.

, , , , ,