Vivacidade organizou debate com candidatos à Câmara Municipal de Gondomar

debate

Marco Martins (PS), Ana Paula Canotilho (BE) e Joaquim Barbosa (CDU). A candidata do PSD/CDS-PP, Maria João Marinho, não compareceu.

A 19 de setembro o Jornal Vivacidade organizou um debate com os candidatos à Câmara Municipal de Gondomar: Marco Martins (PS), Ana Paula Canotilho (BE) e Joaquim Barbosa (CDU). A candidata do PSD/CDS-PP, Maria João Marinho, não compareceu por considerar que nesta fase da corrida eleitoral, a campanha de rua é essencial.

O Auditório da Associação Comercial e Industrial de Gondomar (ACIG) foi palco de um debate organizado pelo Jornal Vivacidade no dia 19 de setembro. Durante cerca de duas horas, o auditório teve casa cheia para ouvir os argumentos dos candidatos à Câmara Municipal de Gondomar: Marco Martins (PS), Ana Paula Canotilho (BE) e Joaquim Barbosa (CDU).
O debate moderado por Germano Almeida, jornalista da TVI24 e MaisFutebol, teve início com uma questão sobre a decisão do Tribunal Constitucional (TC) ao chumbar as candidaturas do Movimento Independente Valentim Loureiro Gondomar no Coração aos órgãos autárquicos de Gondomar. Os candidatos lamentaram o facto dos Independentes não serem excluídos dos boletins de voto e dirigiram ao eleitorado de Valentim Loureiro um apelo: “votem em consciência”.
Já sobre as principais prioridades, Marco Martins apontou a extensão do metro até à sede do concelho. “Gondomar tem que exigir essa construção ao governo central”, disse o socialista, que justificou a proposta como “economicamente sustentável”.
Ana Paula Canotilho centrou as prioridades do Bloco de Esquerda nos “cidadãos”, enquanto Joaquim Barbosa admitiu que a “primeira coisa a fazer é sentar e perceber os problemas das pessoas”.
Quanto ao relacionamento que pretendem manter com o governo caso sejam eleitos, os candidatos defenderam perspetivas diferentes. Marco Martins pretende renovar a imagem que concelho tem no país: “É com mais clareza que Gondomar tem que se afirmar”, salientou. Ana Paula Canotilho pediu “firmeza nas decisões” e prometeu “nunca implementar” medidas que não concorda. Joaquim Barbosa defendeu a continuação da “luta pelo socialismo”, apesar de ressalvar que esse “não tem que ser um objetivo imediato”.
Entre as críticas ao executivo que liderou Gondomar durante 20 anos, os candidatos destacaram a má gestão municipal do mercado da Areosa, do estacionamento e das mais-valias que davam emprego, como por exemplo, a ourivesaria, “que deixou de ser um trabalho de autor”, segundo Ana Paula Canotilho.
“O balanço que fazemos de Gondomar pode ser medido pelo resultado que temos. O número de desempregados é de 20%. Gastou-se dinheiro, algum bem gasto e outro mal gasto e em alguns dos casos a construção é de péssima qualidade”, afirmou Joaquim Barbosa.
Marco Martins não negou o desenvolvimento do concelho, mas em comparação com Matosinhos e Maia, considerou insuficiente para um percurso de 20 anos.Entre as propostas dos candidatos Marco Martins prometeu uma descida do IMI, enquanto o candidato da CDU sublinhou a importância do combate ao desemprego e pela qualidade de vida. Ana Paula Canotilho vincou o esforço do Bloco de Esquerda por melhorar a resolução dos problemas sociais.
Os candidatos encerraram o debate com um apelo unânime aos gondomarenses para que no dia 29 de setembro se dirijam às urnas e votem conscientemente. Maria João Marinho, a candidata da coligação PSD/CDS-PP não participou no debate alegando que a campanha de rua era mais importante.

,