Voluntárias querem levar material escolar a São Tomé e Príncipe

Projeto São Tomé e Príncipe - março 2018

Ângela Castro e Luana Sarinho integram o projeto / Foto: Pedro Santos Ferreira

As gondomarenses Ângela Castro e Luana Sarinho estão a desenvolver uma campanha solidária que prevê a recolha de material escolar até setembro. O objetivo é levar os bens angariados às crianças de São Tomé e Príncipe.

“Colorir São Tomé e Príncipe” é o mote que irá orientar Ângela Castro e Luana Sarinho até setembro. Juntas, propõem-se a angariar material escolar através de um conjunto de espetáculo de dança, atividade que as une. Após o período de angariação o objetivo será doar todos os materiais a duas escolas de São Tomé e Príncipe: Neves e Santa Catarina.

“Este projeto começou em setembro de 2017. Eu tinha o sonho de ajudar África e uma ambição pessoal de visitar aquele continente. Fui passar umas férias a casa de uns amigos e decidi levar comigo material escolar, com o objetivo de doar a algumas escolas. Assim fiz, em duas escolas primárias. Contudo, decidi dar continuidade à minha ação e, este ano, decidi ajudar novamente através de uma campanha de recolha de material escolar, com a duração de seis meses”, começa por dizer Ângela Castro, mentora do “Colorir São Tomé e Príncipe”.

A professora de dança desafiou a aluna, Luana Sarinho, que se mostrou imediatamente disponível para colaborar nesta campanha solidária. “Eu tinha feito voluntariado noutros países e senti que devia envolver-me de uma forma mais direta. Por isso, associei-me à Ângela e acredito muito nesta ideia”, aponta a jovem voluntária.

Assim, começou a procura por material escolar, através de espetáculos e workshops de dança em diversos locais. As iniciativas contam com professores convidados e o valor das inscrições (cinco euros) tem contribuído, na íntegra, para a causa.

“O nosso objetivo é angariar metade do valor necessário (2000 euros) através desses eventos. As despesas associadas à deslocação do material têm sido o principal entrave, tal como a segurança e a logística em São Tomé e Príncipe”, acrescenta Ângela Castro.

A mentora do “Colorir São Tomé” acredita, no entanto, que o projeto “pode vir a ser um grande contributo”. “O nosso objetivo passa por ajudar crianças e idosos na Instituição da Irmã Lúcia e nas escolas primárias de Santa Catarina e Neves, em São Tomé. Além disso, queremos levar afeto e conviver com as crianças. Não queremos ficar apenas pelo depósito do material escolar nas escolas”, explica.

A recolha de material escolar será feita até junho e os interessados em ajudar esta causa poderão contactar as responsáveis através da página oficial do Facebook. O próximo evento será no dia 17 de junho.

Material em falta
Lápis
Canetas
Borrachas
Cadernos
Mochilas
Estojos

, ,