6 de Junho: A força do Povo – todos à rua por um Portugal com futuro!

Por Diana Ferreira

Os anos da política de direita praticada por PS, PSD e CDS arrastaram Portugal para uma situação de declínio económico e retrocesso social, com profundo agravamento das condições de vida dos trabalhadores e das populações.

Opções políticas que se têm traduzido na destruição do aparelho produtivo nacional, em mais de um milhão de desempregados, mais de dois milhões de portugueses em situação de pobreza. Agrava-se a exploração e o empobrecimento, e atacam-se as funções sociais do Estado, nomeadamente a Educação, a Saúde e a Segurança Social para, por via da sua fragilização, crias as condições para que as mesmas sejam entregues a interesses privados.

Ao serviço dos grandes grupos económicos e financeiros, PSD e CDS, com a cumplicidade do PS, preparam, em articulação com a União Europeia, a continuidade e o agravamento deste rumo para décadas, perpetuando a exploração e o empobrecimento do povo e colocando em causa o futuro de Portugal – com uma mão vão degradar salários, introduzir mais cortes nas reformas e pensões, nos apoios sociais e nos serviços públicos; com a outra continuarão a dar benefícios ao grande capital, ficando claro os interesses que servem.

Mas este não é um caminho inevitável!

E o próximo dia 6 de junho, será mais um momento de derrota da política de direita. É o dia da Marcha Nacional promovida pela CDU, “A força do Povo – todos à rua por um Portugal com futuro”: uma poderosa jornada de luta e de afirmação da força e da vontade do povo português num país livre da submissão aos interesses financeiros, um país soberano, de progresso social e desenvolvimento.

Uma poderosa afirmação de que reside no povo, na sua intervenção, na sua luta e no seu voto, a decisão soberana sobre o seu futuro coletivo; uma afirmação de que está nas mãos dos trabalhadores e do povo decidir o seu destino, abrir outro caminho para Portugal, concretizar uma alternativa patriótica e de esquerda, vinculada aos valores de Abril.

Foi pela luta que conquistaram direitos, será pela luta que serão defendidos!

Não nos subtemos, não nos resignamos e não desistimos de lutar.

Assumimos com confiança o projeto de libertação, de dignidade, de honestidade, de desenvolvimento e soberania para Portugal. Temos soluções para o País!

É necessário e possível um Portugal com futuro!

E a força do Povo é o motor para a mudança, para rutura com este caminho de desastre e para a construção de uma sociedade mais justa.

, ,