A crise, sempre a crise!

Chegamos ao fim de 2013 piores do que nos encontrávamos no fim de 2012, e pelo que ouvimos pela voz de Passos Coelho a destruição é para continuar nos os próximos anos.
Nunca é demais lembrar que os partidos que nos desgovernam PSD/CDS, apresentaram-se nas últimas eleições com a promessa de que se fossem para o Governo não continuariam com as mesmas medidas do Partido Socialista, então no Governo.
E foi dessa forma que chegaram ao poder enganando milhares de Portugueses com a promessa de que governariam a favor das pessoas, os resultados estão há vista de todos. Mais Desemprego, mais precariedade, menos salário, menos saúde, menos pensões para quem trabalhou toda a vida.
Mas, mais, muito mais para os poderosos, esses sim os verdadeiros responsáveis pelo estado em que se encontra o nosso país.
Chegou o momento dos Portugueses não se deixarem levar mais, pelas mentiras destes senhores que quando estão na oposição tudo nos prometem para de seguida fazer exatamente o seu contrário. Quem não se lembra de os ouvir dizer que conheciam todos os problemas do país, tinham soluções para tudo? E agora dizem-nos que a final estavam enganados pois julgavam que o país não estava assim tão mal.
É uma vergonha e isto passa-se com todos os Governos que temos tido nos últimos, 35 anos a culpa é sempre do Governo anterior, e assim a vida das pessoas vai ficando cada vez pior.
Diz-nos o Primeiro Ministro que os aumentos dos salários só serão possíveis quando o país estiver a crescer entre 2,5% a 3%. É preciso muito descaramento, porque na realidade nunca Portugal cresceu a esse nível. Na verdade o que ele nos quis dizer é de que enquanto existir esta política não haverá qualquer aumento de salário para a maioria dos portugueses.
Quem não se lembra do tempo do Sr. Silva – como lhe chama o seu amigo da Madeira – quando era Primeiro Ministro, da palavra de ordem com que se apresentou às eleições ( Portugal Não Pode Parar). É verdade, nesses tempos era tudo p’rá frente e entravam muitos milhões todos os dias, não para os bolsos dos trabalhadores, mas sim para muitos dos seus amigos como Dias Loureiro e outros que tais.
Convém não nos esquecermos de quem era o líder da JSD nessa altura para os mais distraídos, nada mais nada menos do que o atual Primeiro Ministro, por isso por vezes quando ouço alguns políticos da nossa praça pedirem ao Presidente da República para não deixar o Governo fazer mal aos portugueses eu pergunto: será que eles não entendem de que ambos defendem os mesmos interesses?
É mais que tempo de dizer basta. Os portugueses precisam de um governo que os defenda e não de um Governo que usa o poder contra os seus direitos. Cada dia que passa com esta gente à frente dos destinos do nosso país podemos ter a certeza do aumento da pobreza e da miséria. Os bancos alimentares já não dão resposta a tantos pedidos de ajuda sem esquecer os muitos milhares que por vergonha preferem passar fome. Aumenta todos os dias o número de crianças com fome nas escolas, e depois desta tragédia com que cada vez mais famílias se confrontam ainda têm a coragem do nos dizer que o país vai no bom caminho.
Tenham vergonha. Vão-se embora. Os Portugueses estão fartos deste Governo.

, ,