A festa da Taça e o leão ferido num Campeonato ao rubro

Viva Desporto - outubro 2016Os três grandes carimbaram o apuramento para a fase seguinte da Taça de Portugal, mas com diferentes prestações, sendo que águias e leões tiveram bastantes dificuldades. Ainda assim, a festa da Taça continuará, naturalmente, ao rubro… Até ao ponto mais alto de todos, o mítico Jamor. Muitos dos atletas que participam nesta competição não são profissionais, o futebol é apenas o seguimento de várias horas diárias de trabalho. Um escape que ao fim de semana se transforma numa montanha russa de emoções e que dá um maior encanto à própria vida. São estes homens – que andam nisto há já vários anos – que merecem todo o destaque. A Taça de Portugal deverá ser, fundamentalmente, para eles. É o lado puro do futebol.

No nosso Campeonato, as coisas mantêm-se exatamente iguais no que toca à liderança. O SL Benfica ainda não sofreu qualquer derrota e tem somente um empate. Já o FC Porto segue numa perseguição acesa, sem dar qualquer margem de manobra aos encarnados. Em forma de contraste, os leões atravessam uma má fase. Em todos os encontros pós-Champions perderam pontos: Vila do Conde, Guimarães e agora em casa perante o Tondela, ficando Jhon Murillo a um pequeno passo de fazer história com o seu golo. Num jogo onde a derrota foi evitada apenas no último minuto, com o costa-riquenho Joel Campbell a saltar do banco para evitar a surpresa total. Uma exibição péssima da formação orientada por Jorge Jesus, bem à imagem dos cruzamentos dos seus laterais. Algo se passa em Alvalade e a pontual ausência de Adrien Silva não pode servir de desculpa para tudo. É, por isso, urgente a mudança de atitude por parte de alguns jogadores do Sporting.

O Braga, com esta última vitória frente ao Desportivo de Chaves, alcançou a equipa leonina no terceiro lugar, tendo os mesmos 17 pontos. No entanto, a maior palavra de destaque terá que ir, indiscutivelmente, para o Vitória de Pedro Martins. Excelente equipa, muito bem orientada, com belíssimos jogadores, onde o setor defensivo permite a estabilidade necessária para que os virtuosos Raphinha e Hurtado possam dar aos adeptos aquilo que eles mais querem. Jogam de fato e gravata com uma magia sul-americana impossível de explicar. Já os avançados Soares e Moussa Marega vão colecionando golos atrás de golos… Uma maravilha de futebol na cidade berço.

, ,