A luta conseguiu! O Governo PSD/CDS caiu!

Depois de, nos últimos quatro anos, aumentarem a pobreza e a exploração e subirem brutalmente os impostos, penalizando os trabalhadores e o povo; depois de dificultarem o acesso à Saúde e à Educação, de encerraram milhares de serviços públicos e degradarem os ainda existentes; depois de quatro anos de roubo nos salários, nos dias de descanso e nos direitos; de cortes nas prestações sociais (como o abono de família e o subsídio de desemprego), nas reformas e pensões, retirando ainda o complemento solidário para idosos; depois de empurrarem mais de meio milhão de portugueses, muito deles jovens, para a emigração forçada e terem negado o futuro aos que ficaram; depois de terem privatizado e vendido ao desbarato empresas estratégicas para a economia nacional, de terem destruído mais de 200 mil postos de trabalho, de terem aumentado o défice e a dívida pública, de terem empobrecido os trabalhadores e o povo, enquanto enriqueciam os grandes grupos económicos e a banca, PSD e CDS apresentaram na Assembleia da República o seu programa, que mais não é do que a continuidade destas políticas que conduziram Portugal ao desastre.

Sabendo que o seu programa era mais do mesmo, e que nem a sua (falaciosa) propaganda era capaz de mascarar a realidade (porque essa é vivida todos os dias pelos milhões de portugueses a quem PSD/CDS impuseram sacrifícios para salvar o capital), os partidos que suportam o (demitido) Governo, demitiram-se de discutir o seu próprio programa.

Estavam derrotados!

PSD e CDS, há muito isolados, foram sustentados durante estes anos por conivência ativa do Presidente da República, que, aliás, voltou a ser cúmplice nas últimas semanas, empossando um Governo que sabia iria ser chumbado.

Mas estão, há muito, derrotados. E foi a luta que derrubou o Governo PSD/CDS!

Foi a luta dos trabalhadores, dos reformados e pensionistas e dos jovens, a luta de muitos homens e mulheres que, sabendo e sentindo as inaceitáveis injustiças que estavam a ser alvo, tomaram nas suas mãos a necessidade de combater a política de terra queimada protagonizada por PSD e CDS.

Foi a força dessa luta, foram as muitas ações desenvolvidas pelos trabalhadores e pelo Povo, especialmente nos últimos quatro anos, que derrubaram PSD e CDS e derrotaram a política de direita.

E imprescindível que foi no passado, é, também no presente, fundamental e determinante essa luta e o seu desenvolvimento.

O tempo é “de participação, de ação e de construção de um futuro melhor!”

, ,