A rede (anti-)social do Calimero

As redes sociais, neste caso especial o Facebook, permitem-nos ter um conhecimento do mundo que, por vezes, seria desnecessário…

Sabemos onde os “amigos” almoçam, sabemos que foram à praia e fizeram uma foto dos pés, sabemos que comemoram o Dia dos Namorados (acompanhados ou nem por isso) e sabemos, principalmente, que andam deveras ocupados e com muitas “cenas” a fazer.

Ora eu também ando ocupado. Até, arriscaria, preocupado.

Faço questão de não “levar” às redes sociais tudo aquilo que comigo se passa, de bom, de mau ou, até, de péssimo. É a vida! E, a vida, não precisa de ser integralmente “escarrapachada” numa qualquer rede social, seja do Mark Zuckerberg, do Kevin Systrom ou do Jack Dorsey. Facebook, Instagram e Twitter, para os menos conhecedores…

Sou fã incondicional do Facebook do atual (p)residente da Câmara. O humor refinado (como o sal!), a falta de assunto, as fotografias provocadoramente românticas e a eterna condição de Calimero, são o meu tónico diário para me rir um bocado.

Agora, infelizmente, o (p)residente da Câmara anda ocupado com outras funções. É coordenador distrital das eleições Europeias e, por isso, anda semi-ausente de Gondomar e “bué” de ocupado com outras “cenas” ainda mais “baris”.

O que eu gosto do Calimero! Sempre infeliz, sempre a choramingar, este meigo pintainho preto é o único da família que não nasceu amarelo, como todos os restantes… E o paralelismo das redes sociais da família que gere a Câmara é exatamente isto: um infeliz e os outros, com outra abordagem, a divulgarem o que de bom ou interessante vão fazendo.

Comparar Marco com Araújo, seu vice, é como comparar um vinho “carrascão” com um bom tinto alentejano.

O (p)residente da Câmara, como o Calimero, tem uma casca de ovo enfiada na cabeça que o impede de ver o óbvio. Ou seja, que esta coisa da vitimização e do passado já foi chão que deu uvas.

Gondomar tem dívida? Tem!

De quê? Maior parte ainda do tempo da gestão autárquica do PS, desde Arlindo Neves a Aníbal Lira, por não pagar as contas de eletricidade a quem de direito.

A outra parte, de Valentim Loureiro, essencialmente de endividamento para construção de habitação social. escolas, piscinas, pavilhões, enfim…..

Entretanto apareceram umas quantas condenações e mais uns milhões para juntar à dívida? Sim! Azar…

E então qual é a solução? Para o (p)residente da Câmara a solução é simples. Nos intervalos da campanha eleitoral para as Europeias, e quando se lembra de Gondomar, lá vai ele para a Comunicação Social fazer o tradicional “choradinho”.

Espero que o nosso Calimero se lembre que ainda é (p)residente da Câmara de Gondomar. Foi eleito, por maioria, pelos gondomarenses. Gondomarenses que dele esperam uma boa gestão, sem lamentações, e com ideias que tragam “mais e melhor” para Gondomar.

Ou será que o (p)residente da Câmara tem outras ambições??? E que, mesmo não fazendo arte das listas ao Parlamento Europeu, anda a preparar caminho para ir “calimerar” para outras andanças???

Que o Calimero seja feliz! E que, ao lado da Priscila, sua namorada com muito mais senso comum que ele, saiba o que quer da vida

Observação:

Já que me referi às Eleições Europeias, e mesmo não se sabendo a totalidade de listas e candidatos, tenho que fazer uma referência muito especial. Só para que não me julguem um “obstinado de direita”, vou elogiar alguém do Partido Socialista…

Tenho que saudar o nome da gondomarense, competente, dedicada e socialista, Isabel Santos! Sempre lhe reconheci trabalho e honestidade. O facto de estar em lugar elegível é, para Gondomar, motivo de orgulho.

, ,