As Eleições Europeias!

Talvez hoje mais do que nunca se constata a importância de a população ir votar nas eleições que se avizinham, e que vão selecionar os deputados portugueses para o Parlamento Europeu.

Vivemos um período crucial para a União Europeia, uma vez que vários desafios estão perante os nossos representantes. Das migrações às alterações climáticas, do desemprego dos jovens à privacidade dos dados. Vivemos num mundo cada vez mais globalizado e competitivo. Simultaneamente, o referendo do Brexit demonstrou que a UE não é um projeto irrevogável. E, embora muitos de nós considerem a democracia como um dado adquirido, esta também parece encontrar-se sob ameaça crescente, tanto nos princípios como na prática.

Neste sentido, e porque a abstenção é um problema crónico das Eleições Europeias (*), o PSD apela ao voto, no próximo dia 26 de maio.

E esse voto deve ser no PSD enquanto garante da defesa da União Europeia e que combate qualquer espécie de populismos e nacionalismos. A natalidade, a reforma da União Económica e Monetária, a economia, a força europeia de proteção civil e um plano europeu de luta contra o cancro estarão no centro das preocupações dos eurodeputados do PSD.

O combate à abstenção é desafio de todos os partidos e o PSD irá pugnar por um “europeísmo realista”, rejeitando o “europeísmo utópico e romântico” que é apanágio do PS.

Acreditamos no projeto da União Europeia mas, como sempre tem sido referido pelo nosso cabeça de lista, com origens em Gondomar, Paulo Rangel, “(…) cultivamos um ‘europeísmo realista’, que é crítico, pragmático e reformista.”.

Dia 26 de maio, vote no PSD !

* Em 2014, a abstenção em Portugal foi de 66,2%. Nesse ano, apenas 28% dos eleitores europeus entre os 18 e os 24 anos votaram. Em Portugal, essa média foi ainda mais baixa: 19%.

, ,