Balanço

Termina agora o meu mandato enquanto representante do CDS/PP na Assembleia Municipal de Gondomar (AM). Apesar de ter responsabilidades no partido há mais de 15 anos, a verdade é que foi esta a minha primeira participação de representação do partido, eleito para um órgão municipal.
Foi uma experiencia enriquecedora por diferentes razões: Porque me aproximou da realidade autárquica portuguesa permitindo-me melhor conhecer os seus intérpretes, as suas motivações, os seus preconceitos. Porque sedimentei a noção prévia de que grande parte dos seus membros (das AM) iniciam e terminam os seus mandatos sem saberem o que ali estão e estiveram a fazer, limitando-se a votar em consonância com o respetivo líder parlamentar. Não têm vocação política, não têm uma ideia política, não sabem, de facto, o que é a política. Porque efetivamente conclui que o caciquismo tem aqui um amplo campo onde espraiar as suas nefastas prerrogativas. Mas também assisti a honrosas participações de quem quis dar um verdadeiro efeito útil ao seu mandato invocando questões candentes de muitos dos lugares concelhios.
No referente ao meu mandato exerci-o sempre com absoluta autonomia, sem qualquer limitação por via de interesses, de lobbies, ou de imposições mais ou menos duvidosas. Mesmo em relação ao partido que represento, o CDS/PP, jamais me foi dirigida alguma diretiva impositiva ou algum sentido de voto particular, facto que muito me honra pois é demonstrativo da confiança que sempre depositou em mim nunca tendo sido a mesma quebrantada.
A minha prioridade sempre foi Gondomar e as suas gentes e, dentro do possível, fui tentando interferir em prol da melhoria da respetiva qualidade de vida, apostando nas soluções consubstanciadas mas verberando energicamente também, tudo aquilo que soava a populismo anacrónico e oco de resultados.
Termino agradecendo a todos os que, nos diferentes espectros políticos, perceberam, apesar das diferenças, o meu papel na AM, colaborando em conjunto, com este desiderato essencial de elevar sempre o nome de Gondomar e potenciar os níveis de felicidade das sus populações.
Quanto ao futuro, as eleições do fim deste mês desSetembro ditarão a minha maior ou menor intervenção na prossecução de tão importante desiderato.
Obrigado.

, ,