Combate à obesidade, uma urgência

Estimados leitores, sei que este tema, de todo, não constitui novidade, nem sequer motiva à leitura, no entanto, é de tal forma importante que nunca será demais chamar a atenção para alguns pontos.

Apesar de os estudos referirem que os indivíduos mais obesos resistem mais às fraturas dos ossos, tais como da anca (colo do fémur), que os indivíduos magros, o certo é que os magros têm muito menos artroses principalmente nas articulações mais importantes como os joelhos, ancas e tornozelos. Não poderemos esquecer as vantagens para o sistema circulatório, incluindo o cardíaco, nem tão pouco com os problemas ortopédicos, pois é do conhecimento geral dos malefícios para a saúde a obesidade.

Existe uma ideia que a maneira de assimilar os alimentos é diferente de pessoa para pessoa, tal facto é verdadeiro, pois sabemos que os indivíduos com tendência para diabetes (ou portadores de genes da diabetes) têm mais tendência a engordar. Lembro-me de muitos doentes que me dizem “até com a água engordam” ao que respondo “ minha senhora , quando eu estou mais gordinho sei bem porquê e isso tem a ver com o que como, quantidade e tipo de alimentos”. Compreendo que para muitos de nós fazer dieta é um sacrifício e não se coordena com uma boa francesinha, umas tripas ou mesmo uns doces tão bons… Mas procurarmos alimentarmo-nos mais vezes (seis vezes por dia) com refeições menos abundantes, pode ser uma excelente solução, além de preferirmos alimentos mais saudáveis, como saladas, frutas, entre outros, e uma vez ou outra lá vai a francesinha. Daí a importância de se aconselharem com profissionais de saúde treinados e com conhecimentos para os ajudar e esses são os nutricionistas, não procurem por favor alguns profissionais cujo objetivo é fazer emagrecer por métodos químicos. Isso deverá ser evitado.

Já não iremos a tempo de chamar atenção neste verão para diminuir a “barriguinha”, mas aqui ficaram alguns conselhos…

Até breve…

,