Coração de Gondomar

O setor da ourivesaria constitui uma estrutura com enorme tradição na economia nacional e muito particularmente no concelho de Gondomar, que continua a ser sobejamente conhecido por ter ourives e artesãos de primeira linha ao nível nacional e internacional, uma marca, que independentemente de um qualquer pensamento partidário jamais podemos deixar que se perca.

A exploração mineira do ouro tem origem nos povos pré-romanos, sendo que Gondomar tem vindo ao longo dos séculos a afirmar-se como um território preponderante para o setor da ourivesaria portuguesa, destacando-se na arte da filigrana através da sua produção artesanal e peculiar oriunda de oficinas essencialmente de cariz familiar que têm passado de geração em geração.

A filigrana é conhecida pelas suas peças riquíssimas, singulares e tradicionais elaboradas minuciosamente por grandes artífices e usadas em ocasiões muito especiais.

Uma tradição que não se pode perder mas que tem de ser tratada com o cuidado e respeito que merece, com um reconhecimento que se alicerce num processo histórico e genuíno, indo ao encontro das suas raízes e para isso nada melhor do que ouvir quem sabe e as conhece, quem trabalha há longos anos neste ramo que se distingue por ser essencialmente manual e com caraterísticas muito próprias.

Naturalmente que quando falamos de peças de arte, muito dificilmente haverá resultados exatamente com as mesmas propriedades, e, por isso, não nos podemos limitar apenas à obtenção de títulos, arriscando perder qualidade e singularidade num produto que tem levado o nome de Gondomar além fronteiras.

Exemplo disso, é o coração de filigrana que tem corrido mundo através de grandes nomes ligados à moda, ao cinema, entre outras personalidades, facto de que tanto nos orgulhamos.

O setor da ourivesaria apesar de atravessar uma situação mais vulnerável, tem um grande potencial de crescimento, desde que para tal se criem as condições necessárias, em que a aposta no design e em equipamentos cada vez mais sofisticados são também de vital importância em termos de competitividade ao nível económico.

Por isso, neste âmbito, e depois de auscultar os principais intervenientes é urgente após a avaliação dos impactos da legislação atualmente em vigor, uniformizar os procedimentos entre as diferentes contrastarias, bem como a redefinição do quadro regulamentar relativo aos prazos de entrega e redefinição da tabela de preços para efeitos de emissão de licenças para os agentes económicos em função da sua atividade, visando-se assim a redução dos custos administrativos, designadamente para as pequenas e médias empresas, que constituem a sua grande maioria neste setor.

, ,