Costa já está em módulo de propaganda contínua

1– Até ao final do mês o Orçamento do Estado para 2019 será aprovado na especialidade no Parlamento por todos os partidos da geringonça. Sem surpresa a coligação das esquerdas mantém-se unida, apesar dos números de circo que o PC e o BE continuam a alimentar, sem convicção nem ilusões. Novamente sem surpresas os três partidos que sustentam o governo estão agora, no debate da especialidade, a introduzir algumas alterações à proposta de governo, mas todas elas já combinadas e acordadas previamente.

Não há, neste processo, qualquer novidade, mesmo para os mais ingénuos. Porque é assim que funciona, em comunicação, a cartilha da propaganda política, desde há um século. A teoria hipodérmica explica tudo isto de forma lapidar, sendo que hoje os efeitos do designado marketing político são gigantescamente amplificados pela galáxia digital. E em ano eleitoral o orçamento é verdadeiramente o pão e circo que anima a festa da geringonça. Mas, à parte os incautos, só se deixa enganar quem quer.

2– Sejamos claros: o Orçamento do Estado é o principal documento da política económica e financeira do país. Nele se definem basicamente os montantes de receita pública, e o que o governo pretende gastar em 2019. Ora, havendo eleições no próximo ano, a principal preocupação de António Costa é tentar demonstrar que o PS é o partido que tem melhores condições para assegurar qualidade de vida aos portugueses. E não se tem cansado de o afirmar, desdobrando promessas e semeando ilusões de norte a sul do país.

Por seu turno, comunistas e bloquistas estão dispostos a fazerem o pino e a espargata para se manterem na fotografia do poder. De tal sorte que a líder do Bloco até já afirma publicamente que o seu partido está pronto para governar. A tenda do circo está montada desde há meses, e os artistas treinam acrobacias e truques de magia. Tudo serve para os jogos de ilusionismo, com António Costa a empunhar o cardápio dos milagres, entregando aos parceiros da geringonça a caldeirinha e o hissope das bênçãos.

3– Este é um circo já visto e revisto, herdado de outros artistas socialistas, que empurraram o país para o abismo. Sim, porque o crescimento da nossa economia é meramente conjuntural, e mesmo assim é dos mais baixos da União Europeia, com 21 países à nossa frente, e 35 se nos compararmos com os países membros da OCDE. Sim, porque os portugueses vão pagar no ano que vem mais onze mil milhões de euros em impostos do que em 2015. Sim, porque a política socialista é gastar hoje por conta do amanhã…

Tão grave como criar estas ilusões, é saber que este governo não fez uma única reforma estrutural que dê esperança para futuro. A política fiscal é uma malha de caça dinheiro. A política de educação, ensino e investigação é um espelho de ilusões. A segurança social é um buraco de insegurança e incertezas. A justiça é um labirinto de armadilhas sem saída. A saúde é um corredor de desespero e um foco de infeções. Só a propaganda sobressai, porque Costa já entrou em módulo automático de campanha.

, ,