Cumprir Abril: Soluções para uma vida melhor

Por Diana Ferreira

Decorreu, em São Pedro da Cova, um almoço comemorativo dos 41 anos do 25 de Abril, com mais de 500 participantes, no qual esteve presente Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP.

Abril é liberdade de expressão, de manifestação, de organização política e sindical. É liberdade de imprensa, igualdade de direitos, eleições livres e direito a voto. É salário mínimo nacional, subsídio de férias e Natal, direito a férias e férias remuneradas. É contratação coletiva e proibição de despedimentos sem justa causa. É direito ao trabalho e ao trabalho com direitos, direito à Habitação, à Cultura e ao Desporto, à Saúde e Educação, à Segurança Social e proteção social. É Reforma Agrária e Serviços Públicos.

São direitos, liberdades e garantias individuais e coletivas, resultantes da heroica luta do povo português em aliança com o MFA, com tradução na Constituição da República Portuguesa – que tem vindo a ser atropelada por sucessivos governos, em especial o atual, e ignorada por um conivente Presidente da República.

41 anos depois de Abril e das suas conquistas libertadoras, Portugal vive um dos mais graves períodos da sua história – o mais difícil desde os negros anos do fascismo. Um período no qual a direita “ajusta contas” com o 25 de Abril e com tudo quanto representou de conquistas, de realizações e profundas transformações sociais.

Agrava-se a exploração dos trabalhadores e a degradação dos seus direitos laborais e sociais; empobrece o País e empobrece-se a trabalhar; mais de um milhão de portugueses foram empurrados para o desemprego e mais de 400 mil atirados para uma emigração forçada; cortam-se salários, reformas e pensões; atacam-se as funções sociais do Estado, limitando e negando o acesso à Saúde, à Educação e à proteção social; tira-se aos jovens o sonho de serem felizes no seu país e aqui construírem a sua vida.

Mas ao caminho que tem sido imposto ao povo português por PSD, CDS e PS, e “vendido” como inevitável, existe uma alternativa.

Uma alternativa credível, patriótica e de esquerda, comprometida com os valores de Abril e um património de trabalho, honestidade e competência.

Uma alternativa que defende os interesses e os direitos dos trabalhadores e do Povo, e a soberania e independência nacionais, rejeitando as submissões ao desmandos do grande capital e da banca e aos ditames da União Europeia.

A CDU tem soluções para o país e está pronta para todas as responsabilidades que o Povo português lhe queira confiar.

, ,