Cursos Técnicos Superiores Profissionais

A ciência, a tecnologia e a inovação são fortes motores da prosperidade e de desenvolvimento económico.
Só uma visão mais abrangente e uma cultura de educação baseada no rigor e na exigência permitem ultrapassar os desafios da construção do conhecimento e da sua integração cultural.
Assim, importa promover a qualificação real, fortemente alicerçada num ensino de qualidade dos jovens e adultos, que constitui um instrumento fundamental para o bem-estar pessoal e social e um mecanismo essencial para combater a pobreza.
Há um grande esforço coletivo para a elevação do nível de qualificação dos portugueses e para a intensificação da investigação científica e do nível tecnológico da nossa economia, com reflexos na inovação empresarial e no reforço da empregabilidade em setores de média e alta especialização.
Com vista a melhorar o ensino em Portugal, do básico ao superior, é indispensável criar percursos educativos diversos que correspondam às aspirações e projetos de futuro da população e às necessidades da sociedade.
A escolaridade obrigatória, agora de doze anos, deve proporcionar a todos os jovens um ensino que garanta qualificações reais independentemente dos percursos educativos pelos quais optem, devendo, também, permitir que um número crescente de estudantes encontre na oferta de educação superior uma resposta de qualidade ajustada ao seu projeto de vida.
Dado que, ainda há uma procura de ensino superior ainda insuficiente, o Governo elegeu como política retomar o crescimento da participação no ensino superior para dar resposta à ambição dos jovens e, essencialmente, promover o aumento da qualificação dos portugueses, concorrendo deste modo para o reforço da empregabilidade, da mobilidade social e da coesão, e para o rejuvenescimento do tecido produtivo.
Para tal, será necessário fortalecer a ligação entre o ensino que ministram as instituições de ensino superior e as empresas de modo a consolidar a oferta educativa, reforçando-a em áreas do conhecimento de maior empregabilidade e de maior interesse estratégico.
Assim, o Governo tem vindo a adotar medidas no sentido de aumentar a participação no ensino superior e de captar novos públicos.
Com este propósito, tem desenvolvido mecanismos que passam, não só pela implementação do programa Retomar e pelo aumento da eficiência do sistema de ação social escolar, mas também pela criação de cursos técnicos superiores profissionais.
A criação destes cursos visa impulsionar a oferta de ensino superior profissional, respondendo às necessidades do mercado e às aspirações dos jovens que, terminando o ensino secundário, pretendem prosseguir estudos superiores na expectativa de uma rápida integração no mercado de trabalho.
Estes cursos técnicos superiores profissionais, terão uma estreita ligação ao tecido empresarial regional, nomeadamente na definição dos objetivos e programas de estudo e na disponibilização de estágios de qualidade no final da formação.
Esta nova modalidade de ensino superior será particularmente importante para o número crescente de alunos que optam pela via profissional no ensino secundário.
A disponibilização destes cursos de nível 5 do Quadro Europeu de Qualificações, permite finalmente completar o quadro nacional de qualificações para o ensino superior, cuja atualização será feita a breve prazo.

, ,