É tempo de começar a materializar as convergências

Depois de uma demorada, penosa e incompreensível perda de tempo e depois de ouvir tudo e todos, o Presidente da República lá se decidiu, pelos vistos a custo, a convidar o Partido Socialista para formar Governo. Dois meses depois das eleições legislativas que elegeram 230 deputados à Assembleia da República, temos finalmente um Governo no pleno exercício das suas funções.

Estão assim criadas as condições para uma efetiva mudança de políticas tão reclamada pelos portugueses, uma mudança que volte a colocar as pessoas no centro das preocupações, que abandone a austeridade e as políticas de empobrecimento do país e dos portugueses.

Interessa agora dar início à materialização das convergências encontradas com o Partido Socialista e que estão expressas no acordo celebrado entre o Partido Ecologista “Os Verdes” e o Partido Socialista. Convergências que pretendem, por um lado, colocar termo às políticas de empobrecimento e responder às aspirações mais urgentes dos portugueses de recuperar os seus rendimentos, os seus direitos e verem asseguradas melhores condições de vida, e por outro lado, proteger os nossos recursos naturais, travar a degradação ambiental e atenuar as assimetrias regionais. Em causa, está, nomeadamente:

A reposição de salários e das reformas, o descongelamento das pensões, a reposição dos feriados e um sério combate à precariedade.

Avançar no sentido de procurar alguma justiça fiscal, sobretudo com a necessidade de afirmar a natureza progressiva do IRS, dar passos com vista à eliminação da sobretaxa de IRS, a revogação de alguns benefícios fiscais atualmente atribuídos aos Grandes Grupos Económicos e Financeiros e alargar o estímulo fiscal às Micro, Pequenas e Médias Empresas.

Garantir a mobilidade das pessoas, valorizando a mobilidade limpa e privilegiando os transportes públicos, sobretudo a ferrovia.

Travar a expansão do eucalipto que também têm vindo a contribuir para comprometer o cumprimento das metas e os compromissos que o nosso País assumiu no plano internacional.

Olhar para a nossa agricultura como um setor estratégico e para a conservação da natureza como um potencial de desenvolvimento.

Fomentar o consumo local, como forma de contribuir para a dinamização da nossa economia.

Estas são algumas das matérias que vão merecer a atenção dos Verdes na legislatura que agora começa. Determinados a contribuir para quebrar o ciclo de políticas que tanto infernizou a vida dos portugueses Os Verdes reafirmam o compromisso que assumiram com as pessoas.

, ,