Ébola, chegará ao nosso país?

Nos últimos tempos, toda a comunicação social fala neste assunto, bem como órgãos oficiais tal como a direção geral de saúde. A meu ver bem, pois é mais do que certo, num país com ampla ligação ao Continente Africano, com viagens sucessivas de pessoas de um lado para o outro, alguém traga inadvertidamente o vírus que tem alta capacidade de transmissão, sendo muito letal.
Esta doença, já há muito que existe no continente africano, atacando aldeias inteiras e como tal, matando quase toda a gente com os focos de epidemia a extinguir-se, talvez permanecendo em animais, daí a história dos cães, que se pensa poderem ser portadores do vírus sem que por esse motivam morram.
A comunidade sanitária e de saúde internacional, percebeu bem a importância deste assunto embora o aparecimento da doença nos EUA, contribuísse para que todo o mundo ficasse mais alarmado.
Em Portugal, as autoridades de saúde tiveram uma reação positiva com campanhas de informação e com montagem de serviços de intervenção em caso de se verificar o aparecimento da doença no nosso país, situação que estou convencido ser mais do que certa. Temos formas eficazes de controlar a doença, mas sem alarmismos que nada servem, devendo as pessoas em caso de suspeita contactar de imediato os serviços de atendimento telefónico urgente, preparados para responder a essas solicitudes.
Em conclusão, as pessoas devem estar atentas, mas não alarmadas, principalmente se contactaram com pessoas que vieram de zonas de África em que o vírus foi identificado, e se apresentarem sintomas de febre e mau estar geral, tomando de imediato cuidados de higiene básicos que podem diminuir a transmissão do vírus. É certo que tudo se complicará quando chegarem os primeiros surtos de gripe, que podem confundir tudo, mas compete aos cuidados de saúde saber identificar a doença.
Atentos quanto baste, mas não com alarmismos desnecessários.
Até breve, estimados leitores…

,