Editorial – maio 2016

Caros leitores,

Por estes dias parece que nascem, todos os dias, concursos para obras no nosso Município. É sempre bom haver obras e concursos é sinal de que há iniciativas e dinheiro para que as iniciativas sejam pagas.

Já quanto à qualidade, ao momento em que são realizadas e à forma como as suas consequências são geridas não é tão fácil estarmos todos de acordo.

Vem isto a propósito do anúncio de que vai o Município investir um milhão e meio de euros para reabilitar, em Fânzeres, o Largo Júlio Dinis e o Pavilhão Gimnodesportivo Municipal, bem como a notícia que hoje publicamos em exclusivo de que vão ser investidos 2,6 milhões de euros para fazer, no centro de Rio Tinto, o já famoso Parque Urbano. Se somarmos os 6,5 milhões já anunciados para uma centena de pequenas obras de recuperação de arruamentos municipais, chegamos ao bonito valor de 10,6 milhões de euros de investimento, um número impressionante para o orçamento municipal.

Esperamos que estes projetos façam parte do pacote de projetos que vão ser apoiados pelos fundos europeus para que os cofres municipais não sejam prejudicados.

E esperamos que se elabore também um projeto para recuperar a dignidade e a vida do centro do Município, pois se os centros de Fânzeres e Rio Tinto merecem estas obras de milhões, também o centro de Gondomar, especialmente a Praça Manuel Guedes, merece semelhante atenção e que seja recuperada para que os cidadãos possam disfrutar do centro da sua terra e que esse disfrute deixe de ser exclusivo de alguns.

E que também se façam os projetos de suporte ao desenvolvimento económico, como a Expo Gondomar que se inicia a 26 e decorre até 29 de maio. Que esta exposição seja um enorme sinal do fim do afastamento das empresas e dos empresários de Gondomar e o início de novas paixões empreendedoras.

,