Editorial – março 2019

Caros leitores,

As eleições europeias são importantes para a Europa, obviamente, mas também são muito importantes para Portugal e para Gondomar. A Europa é cada vez mais importante para todos, não só por causa da transferência de poderes da soberania nacional para as instituições europeias, mas também pela capacidade que a região tem de afirmar os seus produtos, os seus costumes e as suas gentes.

É verdade que há muitos desafios, como aqueles que resultam da imigração maciça de pessoas que, nos seus países, não conseguem sobreviver e que aqui encontram nova vida e novas responsabilidades. Ou como aqueles que resultam da saída (?) do Reino Unido da União Europeia. Ou como aqueles que resultam da incapacidade dos países periféricos de aproveitarem decentemente os fundos que são destinados a fazer diminuir as distâncias reais e virtuais.

A Europa deve ser feita por europeus e nas eleições para o Parlamento Europeu de maio vão estar em discussão 21 lugares destinados aos representantes de Portugal, para um total de 705 lugares existentes após a saída do Reino Unido.

Os partidos que promovem listas ao Parlamento Europeu devem estar muito preocupados com a qualidade dos seus representantes e o desafio que têm para vencer é que procurem pessoas que melhorem a representação portuguesa e que não nos embaracem como aconteceu com alguns candidatos no passado.

Da investigação realizada pelo Vivacidade resulta que há uma cidadã de Gondomar que se encontra em lugar elegível nas listas do PS ao Parlamento Europeu. Trata-se de Isabel Santos, destacada militante e deputada que foi – e é – líder de diversos organismos. É daquelas que vai, com toda a certeza, encher de orgulho todos os gondomarenses, independentemente das suas opiniões políticas e do seu voto, pois Gondomar sai engrandecido ao ter uma gondomarense com o seu curriculum e com a sua capacidade política de intervenção a representar o nosso país numa instituição tão importante como o Parlamento Europeu.

,