Encontro Distrital CDU/Porto

A CDU realizou, a 14 de janeiro, o seu Encontro Distrital, no qual analisou a situação do distrito e as consequências sentidas por políticas levadas a cabo desde as eleições autárquicas de 2013, especialmente as resultantes da aplicação do Pacto de Agressão subscrito por PSD, PS e CDS, que se refletiram no ataque à autonomia do poder local, na redução dos serviços públicos e nas privatizações, no ataque aos trabalhadores e ao trabalho com direitos e na extinção de 1178 freguesias – esta última tomada ao arrepio e contra a vontade das freguesias e das populações.

Neste encontro foi também feita uma reflexão sobre o trabalho que tem sido desempenhado pelos eleitos da CDU nos diferentes órgãos autárquicos do distrito – Câmaras e Assembleias Municipais, Assembleias de Freguesia e Executivos das Juntas de Freguesia CDU (U.F. Fânzeres e São Pedro da Cova e Parada de Todeia), referindo-se ainda o contributo essencial das forças que compõem a CDU (nomeadamente o PCP e o PEV) para a solução política atual que, pese embora as limitações e insuficiências, permitiu avanços e permitiu travar (e, em alguns casos, reverter) um caminho de destruição, empobrecimento e alienação do país, pese embora as limitações e insuficiências das medidas entretanto tomadas.

Uma das medidas mais importantes para o distrito tomadas nesta nova fase da vida política nacional foi a reversão da privatização da STCP e da Metro do Porto – medida inseparável da luta dos trabalhadores e dos utentes, bem como da ação do PCP e do PEV. A municipalização da STCP não apaga preocupações, nem garante a resposta que a região necessita, pelo que será um assunto sobre o qual a CDU continuará a intervir.

Também a defesa do direito à mobilidade, com transportes públicos de qualidade, que respondam às necessidades, será uma matéria que contará com a ação e intervenção da CDU.

A CDU intervirá na defesa de políticas nacionais e locais que apoiem a produção nacional e a criação de emprego com direitos; na defesa dos serviços públicos, valorizando o seu papel ao serviço das populações; na defesa do ambiente e da qualidade de vida, no quadro das competências autárquicas; na defesa da necessidade de recuperação do parque habitacional e da superação das necessidades de habitação social e no apoio ao movimento associativo e popular.
Assim estará a CDU nas Eleições Autárquicas deste ano no distrito, enquanto força alternativa e portadora de um projeto próprio.

, ,