GAL Douro Atlântico

O Município de Gondomar continua a abrir e a traçar caminhos conjuntos com os municípios vizinhos, num diálogo que permite ao concelho e à Área Metropolitana um desenvolvimento concertado e sustentado. No dia 10 de fevereiro, Gondomar uniu-se a Vila Nova de Gaia e Espinho, numa parceria composta por agentes económicos locais e institucionais intervenientes nos processos de desenvolvimento pesqueiro e costeiro, e de diversificação e competitividade da economia. Este Grupo de Ação Local (GAL) Douro Atlântico vai valorizar a orla costeira “nem sempre acarinhada como deveria”, defendeu o presidente da Associação para o Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), entidade gestora do programa. Este contrato de parceria visa submeter uma candidatura ao Programa Mar 2020 para o Desenvolvimento Local de Base Comunitária das Zonas Costeiras-DLBC Costeiros, e propõe-se dinamizar, em territórios específicos, a concertação estratégica e operacional entre intervenientes, com vista ao empreendedorismo e à promoção de postos de trabalho, criando emprego sustentável, inovação social e combatendo a pobreza. O Município de Gondomar vê “com bons olhos” o nascimento do GAL Douro Atlântico, segundo o vereador Carlos Brás. “O desenvolvimento dos territórios tem de passar por parcerias e, por isso, aderimos desde a primeira hora a esta iniciativa da ADRITEM”. A ADRITEM é, por sua vez, uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, ao serviço do Desenvolvimento Local. Envolve os Municípios de Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Gondomar, Valongo e Albergaria-a-Velha que partilham os seus objetivos, operando “processos de desenvolvimento, promoção e valorização do seu território”. Estes objectivos comuns, nascidos de condições e circunstâncias análogas destes concelhos, visam promover melhores condições de vida às pessoas mais desfavorecidas, fixando a população rural, apoiando e promovendo o desenvolvimento económico com iniciativas concretas. Pretendem preservar o património natural, ambiental, cultural, etnográfico, arqueológico e turístico, promover as regiões e os seus produtos locais. Sente-se, por isso, que Gondomar abandonou definitivamente as suas políticas enclausuradas e estéreis, marcantes de 20 anos de governação do anterior executivo. Abriu os seus horizontes e as suas estratégias, com a consciência que o caminho para a prosperidade faz-se também em conjunto.

, ,