Gondomar não pode ficar para trás!

Está em curso desde meados do ano um programa de regularização dos precários do Estado. O objetivo é integrar nos quadros todas as pessoas que trabalham na Administração Pública, central e local, através de vínculos irregulares. É um momento histórico de reposição da legalidade e da justiça.

O Governo anunciou na passada quinta-feira que iria abrir uma nova fase de entrega de requerimentos para o programa de regularização dos vínculos dos precários do Estado (PREVPAP). Esta boa notícia vai permitir a muitos precários do Estado, que não entregaram os requerimentos até 30 de junho, regularizarem a sua situação. Aliás, ninguém compreenderia se no final do processo subsistissem vínculos precários e ilegais no Estado.

O programa de requalificação de precários do Estado previsto neste orçamento é uma medida histórica de reposição da legalidade nos vínculos dos trabalhadores da função pública, tanto do estado central como na administração local.

O município de Gondomar, parece não demostrar vontade política para reverter a situação de precariedade dos seus trabalhadores, por isso é fundamental uma resposta urgente e eficaz capaz de mudar a vida das pessoas e de reconhecer quem dedicou toda uma vida ao seu trabalho. Este novo executivo da câmara deverá tomar uma atitude que reflita com clareza esta decisão histórica do governo central. Nunca esquecendo o papel ativo que o Bloco de Esquerda teve na elaboração deste orçamento, apresentamo-nos agora para lutar lado a lado com os trabalhadores pelo fim da precariedade, da ilegalidade e de décadas de uma democracia cujo as desigualdades sociais se tornaram ano após ano mais evidentes.

Depois da era das trevas, mais conhecida como os anos da troika, vivemos agora um tempo de mudança. Exigimos um processo simples e transparente, que garanta segurança e dignidade aos trabalhadores precários do estado.

Gondomar não pode ficar para trás.

, ,