Investigação na saúde e o futuro

Se existe uma área do conhecimento com maior inovação e desenvolvimento, esta será a das Ciências Médicas e afins, tais como a Bio Engenharia, Farmácia, etc. É certo que isso só é possível dada a grande inovação tecnológica de várias áreas, em que a medicina aproveita esse desenvolvimento. Por exemplo, o Prof. Manuel Sobrinho Simões, uma das maiores autoridades mundiais da medicina, recentemente reconhecido como tal, afirmou há dias que daqui a poucos anos ninguém vai morrer de cancro… Reparem bem o choque e a intensidade desta afirmação, da qual não duvido, faz-nos lembrar as pessoas, amigos e familiares ou apenas conhecidos, que já partiram, que já morreram, mortes essas que daqui a uns anos já não aconteceriam, com a eficácia e desenvolvimento da medicina. Isto leva-nos a ter uma esperança no futuro, mas ao mesmo tempo a responsabilizarmo-nos em apoiar a investigação bem como aqueles que nessa área trabalham. A necessidade de investir na investigação médica e nas áreas afins, deve ser uma preocupação nossa, pois está provado que vale a pena.

Compreendo que a vida também seja futebol, mas não é só… Há muito mais além disso, não consigo deixar de desviar o meu pensamento neste momento, que comparo um atleta de futebol do qual sou médico assistente e que aufere mais de 70 mil euros mensais como base em relação a um investigador, orientador da minha tese de doutoramento em Espanha e que vive sempre numa incerteza de emprego, com um ordenado de pouco mais de 2000 euros mensais… Penso que haverá uma desorientação dos reais valores da vida e daquilo que temos de apostar, para que a saúde de todos nós seja cada vez mais eficaz e melhor.

Teremos mesmo, agora que tanto se fala de cidadania, obrigar as autoridades que nos governam, para apoiar a investigação médica, pois os benefícios para todos que daí advém tem uma importância vital e muito forte na nossa vida.

Vale apena pensar nisto…

,