Levar o exemplo de Rio Tinto ao restante concelho

Para que não julguem que, nestas minhas crónicas, só me costumo referir ao presidente da Câmara de Gondomar, desta vez vou falar do (então) presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto.

Chegou à Junta de Rio Tinto jovem, com genica, ideias e propostas. Apesar do curto passado político e profissional, tinha já uma longa experiência enquanto ativista. Aproveitou o desgaste de executivos caducos e sem propostas e, numa freguesia marcadamente urbana, conquistou o poder. Desde cedo o jovem presidente da Junta não escondeu as suas ambições. E desde cedo apresentou ideias e mostrou trabalho.

Pecou, talvez, por ter opinião sobre tudo. E sobre nada.

Agora, sobre a inauguração do Parque Urbano de Rio Tinto, recordo-me de algumas das suas intervenções e dos seus protestos. Quando o poder camarário era de um partido, e ele de outro, o (então) presidente da Junta não se cansava de reclamar. Algumas vezes bem, reconheço…

Quero, com tudo isto, dizer que, talvez pela primeira vez, subscreva na totalidade a opinião do (então) presidente da Junta de Rio Tinto. O Parque Urbano de Rio Tinto é uma “obra” a destacar, com qualidade, integrada e completa. Faltarão uns quantos pormenores, quase irrelevantes, e que acredito em breve serão resolvidos.

Gostei de apreciar a solução final. Gostei das “pequenas” intervenções que fizeram este Parque Urbano ainda maior. Gostei de ver, nos dias seguintes à inauguração, o Parque cheio de gente, as estruturas a serem utilizadas e, tal como eu, gostei de ver as pessoas a elogiar esta intervenção em espaço público e urbano.

Posso fazer um pedido? Deixar um desejo? Que se repita noutras freguesias. Que não seja apenas na área urbana, mas que também se faça no chamado “alto concelho”. Que não seja apenas em Rio Tinto – para, com injustiça, os gondomarenses não continuarem a dizer que “só se faz obra em Rio Tinto”.

Sobre as famosas torres habitacionais de 11, 10, ou uns quantos andares (que se falavam para a zona), ainda haverá muito por esclarecer. Levantaram-se boatos, alimentaram-se mentiras e falharam-se alguns prognósticos. Mas, repito a ideia, ainda há muito por esclarecer. O futuro talvez nos ajude a clarificar essas ideias. E quem são os tais “outros” que queriam não se sabe bem o quê… Ou quem são os especuladores imobiliários que alimentam sonhos e projetos.

Dou, por isso, os parabéns ao (então) presidente da Junta de Rio Tinto e ao atual presidente da Junta de Rio Tinto – que, em dia de aniversário da cidade, não poderia ter recebido melhor prenda.

Últimas palavras para outra grande obra. Ainda que não seja da responsabilidade da Câmara, mas sim de privados, é bom ver finalmente concretizado o antigo anseio de se ter um hotel digno desse nome no Município de Gondomar.

Convenhamos que é mesmo no limite do concelho. E convenhamos, também, que é uma obra que vem do passado.

Mas, inquestionavelmente, é uma obra que finalmente avança.

Assim fosse com muitas mais. Em Rio Tinto e no restante concelho de Gondomar.

, ,