“Na prevenção está a resposta para o tratamento eficaz”

Muitos doentes questionam-me nas consultas sobre o desenvolvimento de novos métodos de tratamento e de diagnóstico, em patologias graves como, por exemplo, o cancro. Existe realmente um conjunto de novas técnicas inovadoras, importantes para um tratamento eficaz, mas continua a ser a prevenção, a principal arma terapêutica de patologias tão importantes como o cancro. É o sinal na pele que muda de cor, tornando-se diferente, mais negro, é o vómito de sangue, ou tosse com expetoração raiada de sangue, urina com sangue ou fezes, enfim um inúmero tipo de sinais de alerta que nos devem levar ao nosso médico, de preferência médico de família, que deverá examinar o paciente e pedir exames complementares de diagnóstico que levarão a uma conclusão sobre a doença em causa.

Parece de facto, um tema sem qualquer novidade, mas que se mantem atual, pois vários são os casos de doentes que encontramos com patologias já muito avançadas que seriam mais fáceis de tratar, se diagnosticadas mais cedo. Certo, que muitos factores explicam como muitos doentes se deixam acomodar, desde logo pelo acesso ao seu médico ou clínica privada, uns devido ao atraso das consultas outros por motivos económicos. Há que tentar obviar essas dificuldades, tornando as consultas de melhor acesso aos cuidados de saúde, com marcações de consultas mais breves, quer tornando as consultas menos dispendiosas, aos atuais preços. Não será fácil resolver ambas as situações, por um lado o acesso a consultas, principalmente no setor da saúde pública, mostra uma dificuldade crescente em responder às necessidades dos pacientes, devido às dificuldades financeiras mais evidentes nos últimos anos. Destaca-se os serviços de saúde familiar, que se tem destacado pela eficiência e qualidade que tem demonstrado. A saúde privada que era quase inacessível no passado, hoje graças aos seguros de saúde e os sistemas mutualistas, estão também a alterar o seu funcionamento, com uma acessibilidade cada vez maior.

Já tive oportunidade, em artigos anteriores, de demonstrar, a importância das associações mutualistas, entre as quais, temos um bom exemplo na nossa cidade, a Associação São Bento, o seu papel fundamental que já tem, mas que podem vir ainda a ter, com maior preponderância na saúde e serviços afins, nas populações.

Estimado leitor, não se esqueça, tire um tempo para ir regularmente ao seu médico, e esclarecer as suas duvidas ou preocupações. Lembrem-se que as situações graves de doença, não aparecem só aos outros…

,