Não temos de ser nós a pagar as vossas dívidas

Na passada semana, no inquérito parlamentar a Ricardo Sagado & Companhia ficou provado quem são os verdadeiros responsáveis pelo estado em que o nosso país se encontra.
Como muito bem resumiu no final das declarações do banqueiro, a deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, referiu, “afinal o dono disto tudo passou a vítima de isto tudo”, é preciso não ter um pingo de vergonha quando nos vêm dizer que não foi ao Parlamento colocar-se na posição de vítima mas dar a sua visão dos acontecimentos. Até onde vai o descaramento desta gente.
No Parlamento, Passos Coelho ficou muito irritado quando Catarina Martins lhe disse: “Sabemos bem quem afundou o BES foi a familia Espirito Santo, mas os 3,4 Milhões de Angola foram um bom empurrãozinho”. De nada lhe vale falar do mexilhão pois quando se trata de defender os intereses dos novos donos disto tudo logo o ‘Sr. Abandona o Mexilhão’, não é Sr. Primeiro-Ministro.
A destruição não para e este governo da Direita do PSD/CDS não descansa enquanto não entregarem aos privados todas as empresas estratégicas e fundamentais para o desenvolvimento do nosso país. Como é o caso da PT, uma empresa que durante décadas foi a maior empresa portuguesa e a primeira de dimensão internacional. A PT era das empresas que mais investia em tecnologia e investigação no nosso país.
Depois da PT será a vez de entregar a TAP por meia dúzia de euros a privados. Também aqui, os trabalhadores desta grande empresa que leva o nome do nosso país por esse mundo fora, tem demonstrado ao Governo que é possível outro caminho que não o da privatização, que mais não é do que a sua completa destruição.
Até quando vamos assistir à destruição do pouco que ainda nos resta? Este tem de ser o momento de dizermos basta!
Este é o momento dos portugueses confrontarem Passos Coelho. É-nos dito permanentemente pelos responsáveis do PSD/CDS que as privatizações não colocam em causa a permanência dos setores estratégicos em mãos nacionais mas todos sabemos que isso não passa de uma mentira.
Se nada for feito para travar esta destruição levada a cabo por este Governo – que tem sido o pior de todos desde abril de 74 – de nada valerá depois quando nada mais restar. De uma coisa todos poderemos ter a certeza, Portugal e os portugueses ficarão mais pobres.
Aproveito para desejar a todos os que têm sido vítimas desta política miserável, a força necessária para que em 2015 corram com este governo que tão mal tem feito aos portugueses e a Portugal.

, ,