Novas Oportunidades de Empregabilidade

O Governo tendo como objetivo baixar a taxa de desemprego, lançou mais  três novas medidas específicas destinadas a promover a criação e a qualidade da empregabilidade: Promoção de Igualdade de Género no Mercado de Trabalho, Apoio à Mobilidade no Mercado de Trabalho e a Medida Reativar.

Com a medida – Promoção de Igualdade de Género no Mercado de Trabalho – tem por objetivo atingir um maior equilíbrio e combater a discriminação de funções entre homens e mulheres no mercado de trabalho. Esta medida incentiva ainda a que jovens e desempregados, ambos os sexos, possam escolher determinada qualificação, profissão ou função, atendendo à sua vocação e motivação sem constrangimentos associados a eventuais estereótipos de género que ainda subsistam.

Esta medida pretende contribuir para combater a segregação no mercado de trabalho em função do sexo, assumindo-se, simultaneamente, como mais um instrumento de promoção da integração de jovens e desempregados no mercado de trabalho e, consequentemente, de combate ao desemprego.

Com a presente medida, pretendeu-se revitalizar e enquadrar, no atual contexto económico e social do mercado de trabalho, a promoção da igualdade de género

Esta nova medida traduz-se na concessão de um apoio financeiro ao empregador que contrate desempregados do sexo sub-representado em determinada profissão.

Com a globalização e o desenvolvimento das vias, meios de transporte e comunicações, alteraram a geografia da localização do tecido empresarial e dos recursos económicos e sociais, conduzindo à necessidade de maior mobilidade geográfica por parte dos trabalhadores.

Neste contexto, emergiu uma outra medida – Apoio à Mobilidade Geográfica no Mercado de Trabalho – a qual visa apoiar a mobilidade geográfica dos trabalhadores, procurando um maior e melhor ajustamento entre a oferta e a procura de emprego e, consequentemente, incrementar uma melhor redistribuição geográfica e profissional da mão-de-obra, bem como em situações associadas à criação do próprio emprego.

Salienta-se ainda que, com a presente medida, em linha com o combate ao desemprego, em especial o de longa duração, pretende-se ir ao encontro do atual contexto económico e social do mercado de trabalho, no que respeita a atribuir apoios à mobilidade geográfica dos seus recursos humanos.

Esta medida, visando melhorar a redistribuição da mão-de-obra, poderá ainda ter um efeito particularmente benéfico no combate à desertificação e assimetrias regionais, mitigando a concentração populacional.

Por último, a medida – REATIVAR – tem por objetivo principal promover a reintegração profissional de pessoas desempregadas de longa duração e de muito longa duração, com mais de 30 anos de idade através da realização de estágios profissionais, com uma duração de 6 meses, propiciando um contacto com o mercado de trabalho, num contexto de formação, e promovendo a aquisição de competências, suscetíveis e desejavelmente certificáveis, visando o efetivo reingresso no mercado de trabalho.

Assim, as situações de desemprego associadas a públicos com acrescidas dificuldades de inserção profissional, beneficiam de condições mais favoráveis de enquadramento, com o propósito de promover a inserção e acentuar a prioridade concedida nos objetivos de reintegração pessoal e profissional.

Com estas novas medidas de emprego o Governo procura, afincadamente, a promover o combate ao desemprego em Portugal.

, ,