Novo ciclo

Um novo mandato agora se inicia.

Depois de um longo período de campanha e pré-campanha eleitoral, onde cada força politica terá envidado todos os seus melhores esforços no sentido do convencimento dos eleitores para a qualidade das propostas e dos atores políticos apresentados, tais eleitores, isto é, o povo, decidiu, pondo um fim a este sempre aliciante mas marcadamente desgastante, período da política autárquica.

Claramente que os resultados eleitorais não foram aqueles que muitas das forças intervenientes esperavam. No que nos diz respeito o resultado não nos deixou minimamente convencidos, seja pelo empenho e convicção demonstrados, seja pelo enorme esforço de renovação de ideias e disponibilização de um projecto coerente e motivador das necessárias transformações que o concelho exigia e exige. A verdade é que os gondomarenses decidiram soberanamente como melhor entenderam, competindo-nos a nós assumir, com sincera humildade, o necessário ónus de não termos sabido captar a sua devida atenção, o seu necessário interesse e a sua essencial esperança, no projecto de modernidade que partilhamos. Como sabemos que temos razão, cumpre-nos então reescalonar métodos e redefinir opções, por forma a criar simbioses sempre maiores entre o que defendemos e aquilo que os gondomarenses precisam.

Nas instâncias formais em que nos mostramos representados, manteremos sempre uma postura de colaboração e de pleno respeito pelos nossos pares adversários, secundando-lhes propostas e iniciativas sempre em função das inerentes virtualidades, ou seja, da concernente repercussão na qualidade de vida dos gondomarenses sem descurar contudo, os respetivos efeitos orçamentais.

Participaremos nas diferentes discussões deliberativas, eivados constantemente de um fundamental princípio, o qual se prende com a certeza de que jamais faremos ataques pessoais, reportando-nos nas críticas que façamos, sempre à bondade, ou falta dela, designadamente ideológica, das propostas formuladas.

Estes são apenas alguns, muito referenciais, tópicos, daquela que será a postura do partido, através dos seus representantes nos diferentes órgãos autárquicos gondomarenses, postura inequivocamente colaborante e participativa, guiada pelo inultrapassável propósito de pugnarmos em toda a nossa intervenção, pela melhoria da qualidade de vida, material e emocional, de todos os gondomarenses.

, ,