O crescimento económico de Portugal, 2014 – 2020

Durante a última década, a economia portuguesa atravessou um longo período de crise e estagnação económica, com um crescimento real médio anual igual a 0,7%.
Esta situação teve graves consequências ao nível do desemprego e do sobreendividamento dos agentes económicos.
No sentido de superar os desafios da atual conjuntura e retomar a trajetória de convergência com os seus parceiros europeus, Portugal já iniciou, ao longo de 2013, um processo de crescimento económico sustentável, o qual deve ser consolidado nos próximos anos.
Recentemente, Portugal tem vindo a dar sinais, embora ténues, sobre o crescimento da economia e do emprego.
Para que este sinais se tornem mais evidentes e venham a tornar a economia portuguesa mais próspera foi definida uma Estratégia de Fomento Industrial para o Crescimento e o Emprego 2014-2020, que visa um crescimento sustentável da economia assente no aumento das exportações, na captação de investimento, na estabilização do consumo privado e na qualificação do capital humano.
Esta estratégia tem por objetivo materializar uma visão clara de crescimento para a economia portuguesa: uma economia de vocação internacional, tendo como principal motor de crescimento uma indústria de elevado valor acrescentado nacional e geradora de emprego, em que o Estado atua como facilitador da iniciativa privada.
Esta visão está consubstanciada em objetivos ambiciosos e concretos para Portugal, com metas a alcançar até 2020. Assim, para Portugal ter um crescimento sustentável e atingir os objetivos traçados para 2020, será necessário maximizar a capacidade de exportação das nossas empresas, apostar na reindustrialização enquanto motor da economia, fomentar o investimento privado, a criação sustentada de emprego e o investimento no conhecimento e na qualificação eficiente dos nossos recursos humanos.
De todos os objetivos traçados relevo o emprego e a qualificação das pessoas. O emprego é um dos principais pilares das economias desenvolvidas. Assim, uma taxa de emprego elevada representa uma utilização efetiva do capital humano e constitui um estímulo à procura interna, bem como a criação de oportunidades de emprego para toda a população ativa é fundamental para a construção de uma sociedade justa e equitativa.
A qualidade do capital humano é um fator fundamental para o crescimento económico de Portugal.
O nível médio de qualificação dos portugueses e o seu alinhamento com as necessidades do tecido empresarial têm uma influência direta e significativa nos níveis de emprego, na produtividade e na capacidade de gerar inovação e empreendedorismo verdadeiramente distintivos.
A qualificação das pessoas é parte fundamental da Estratégia de Fomento Industrial para o Crescimento e o Emprego, que nessa exata medida tem como objetivo, em função de aumentos de produtividade, uma política de valorização das remunerações dos quadros e dos trabalhadores das empresas.
Portugal, deve continuar a promover políticas de apoio ao investimento económico com incidência nas áreas fiscais, do emprego e da qualificação dos Portugueses… A todos os leitores do VIVACIDADE, votos de Um Santo Natal e um Ano de 2014 muito Próspero.
, ,