O desenvolvimento de Gondomar

Gondomar é um dos concelhos menos desenvolvidos da Área Metropolitana do Porto. Continuamos a ter uma alta taxa de desemprego, uma área considerável do território sem saneamento básico, uma rede altamente deficitária de transportes públicos e uma grande desigualdade de oportunidades e de potenciação de recursos entre o concelho urbano e o alto concelho.

Em contrapartida, Gondomar é dos concelhos com maiores potencialidades para um desenvolvimento sustentado capaz de responder às necessidades dos gondomarenses. É caso para nos questionarmos sobre as razões deste atraso e sobre as soluções políticas que estão a ser pensadas para transformar Gondomar num concelho desenvolvido que responda aos anseios e necessidades da sua população.

Na Câmara Municipal, os vereadores da CDU apresentaram um conjunto de propostas que vão de encontro a esta necessidade de transformar Gondomar e de inscrever este concelho num dos mais promissores da Área Metropolitana do Porto. Resta saber se a maioria PS que gere a Câmara Municipal estará disponível para este trabalho estruturante e mobilizador dos recursos de Gondomar.

Uma prioridade reconhecida por todos é a necessidade de promover a criação de emprego e um dos caminhos apontados pela CDU é o de criar incentivos fiscais para as PME, nomeadamente através da diminuição da derrama – proposta chumbada pelo PS na Assembleia Municipal – e da criação de projetos de ligação entre a formação profissional e as indústrias do concelho, assim como a criação de uma nova zona industrial no alto concelho, no nó da A43 e A41, e a clarificação da atual malha industrial.

Para a promoção da indústria marca do concelho, a ourivesaria, que enfrenta constrangimentos de vária ordem, é urgente a criação do Museu da Ourivesaria para fixar e solidificar esta indústria, assim como a instalação de um polo de ensino superior ligado a este setor em articulação com escolas de design de produto e de joalharia.

Um concelho sem mobilidade devidamente estruturada e abrangente não se desenvolve. É necessário, por isso, definir urgentemente um plano de ação com vista à construção da linha do metro desde o centro de Gondomar até ao Porto, servindo dignamente a Vila de Valbom, assim como redefinir a rede de transportes coletivos numa perspetiva de criar ligações entre todas as freguesias do concelho, entre as malhas industriais existentes e a criar, e entre os principais polos de comércio, sem esquecer as ligações com o alto concelho, atualmente bastante deficitárias.

Em pleno século XXI, é inadmissível que um concelho inserido na segunda maior área metropolitana do país tenha ainda uma grande área do seu território sem as infraestruturas básicas necessárias à vida da população como é o caso da falta de saneamento básico. O alargamento da área coberta pelas redes de saneamento e tratamento de águas residuais criando um plano de prioridades que comece por abranger as áreas de maior densidade populacional até à cobertura toral de todo o concelho não pode ser mais adiado.

Estas e muitas outras propostas foram apresentadas pela CDU para dar voz às reivindicações das populações. Resta saber se a maioria que gere a Câmara Municipal tem ouvido estas vozes que reclamam por uma vida melhor.

, ,