O Governo que “Os Verdes” censuraram

Razões éticas, razões políticas, razões económicas e razões sociais, acabaram por atribuir natureza obrigatória à Moção de Censura que “Os Verdes” apresentaram ao Governo PSD/CDS. Censuramos o Governo que colocou o País nesta degradante situação, no retrocesso económico e social que este Governo impos ao país e aos portugueses. Mas também o censuramos face ao estado de apodrecimento deste Governo, dos caricatos e lamentáveis episódios que se seguiram á demissão do ex-ministro das finanças.
O Governo que “Os Verdes” censuram é o Governo que mentiu aos portugueses, prometeu não aumentar impostos e que acabou por colocar às costas dos Portugueses a maior carga fiscal de sempre. O Governo que “Os Verdes” censuram é Governo que virou as costas aos portugueses, que tomou posse com o desemprego nos 11% e que passados dois anos o coloca nos 18%. É o governo que nos está a endividar, que toma posse com a divida pública nos 95% e que passados dois anos a coloca nos 127% do PIB. É o Governo que só pensa na Banca, nos mercados e nos interesses dos grandes grupos económicos, que encontra o défice nos 4,2% e que passados dois anos o coloca nos 8,8% do PIB, valor, aliás que disparou para os 10,6% com a recapitalização do Banif.
É o Governo dos Swaps, dos negócios fabulosos, onde o estado vende um banco por 40 milhões de euros e agora vai ter de dar ao comprador o triplo do valor que o estado recebeu pela venda. É o Governo que não se cansa de impor sacríficos aos portugueses e mesmo com esses brutais sacrifícios, não resolve nenhum dos nossos problemas. É o Governo desgastado pelas inúmeras lutas sociais que conheceram uma dimensão sem precedentes na nossa história democrática. É o governo que convive mal com o estado social, que procedeu a uma ofensiva sem precedentes aos direitos dos cidadãos, que agravou as injustiças sociais e que desencadeou um brutal ataque à natureza, aos recursos naturais e ao património através do seu abandono, delapidação ou privatização. É o Governo que não consegue apresentar um Orçamento de Estado dentro do quadro constitucional. É o Governo que vive com o coração nas mãos, porque a qualquer altura podem inesperadamente surgir novas decisões irrevogáveis.
É o Governo que foi censurado pelo próprio ex-ministro das finanças, que, a passos largos bateu com as portas. É este Governo, censurado, desacreditado, a prazo, condicionado, de pés atados e de coração nas mãos, que “Os Verdes” censuram.
A apresentação desta moção de censura, face à situação que vivemos, é um imperativo democrático.

, ,