O novo comissário europeu

Carlos Moedas é o nome dele. É engenheiro e os portugueses conhecem-no muito mal, não sabendo, em concreto, as verdadeiras apetências daquele que será o novo Comissário Europeu, designado pelas autoridades portuguesas.
Tem um percurso recente na política portuguesa e, talvez por isso, todos ficamos um pouco na expectativa quanto à prestação que terá, em cargo tão importante para o prestígio dos portugueses e de Portugal. Independentemente, no entanto, de o conhecermos tão mal, a verdade é que a imagem que reflete nos inspira uma aparência de solvabilidade, confiança e qualidade, esperando pois que tais valências se mostrem, no trabalho que venha a desenvolver, serem bem mais substantivas que aparentes.
No que ao CDS/PP concerne, teríamos preferido alguém mais experiente, mais conhecedor em função de toda uma prática de vida, das verdadeiras vicissitudes da política, das suas particulares e supostas (só supostas) incoerências, porque só quem ciente e sabedor do verdadeiro método, poderá espremer as melhores soluções, as mais abrangentes, no seio de tanta diversidade nacional. Para nós, mais importante que alguém que adviesse da nossa família política, seria a escolha de quem tivesse o reconhecido estatuto de, pelo seu currículo, se colocar acima dos partidos e merecer o apoio transversal dos diferentes responsáveis da sociedade portuguesa.
A escolha seria sempre, e como sabemos, controversa, razão porque o que importa é que os cânones tenham sido cumpridos e que a forma em uso no nosso país, de escolha do seu Comissário, tenha aplicado tais cânones. Até porque depois de dez anos de exercício da presidência europeia, não se espere que Portugal possa, com verdadeira crença, esperar a atribuição de um pelouro importante no contexto europeu, seja pela muito relativa importância do país seja pela conjuntura nacional manifestamente desfavorável, no mesmo contexto.
Cumpre-nos portanto desejar o melhor mandato para o novo Comissário Português, e esperar que, depois do trabalho feito, Portugal possa sair reforçado e prestigiado com a sua prestação, no confronto do desempenho dos diferentes Comissários que esta nova Comissão Europeia integrará.
, ,