O rio Tinto é de todos! Devolvam o rio às pessoas

No passado sábado, o Bloco de Esquerda esteve numa ação de defesa do Rio Tinto que contou com o a presença do líder parlamentar Pedro Filipe Soares e de Alda de Sousa (que foi deputada no parlamento europeu), bem como alguns dos seus eleitos locais.
Com o fim do ciclo de 20 anos de governo municipal sempre de costas para o rio e apenas preocupado com a construção e mais cimento, seria expectável que o novo Executivo Municipal começasse a inverter a situação e travar a destruição do rio Tinto,
Infelizmente, tudo continua igual. Pouco tempo após a tomada de posse do novo Executivo realizou-se uma visita á ETAR. Tivemos a oportunidade de ouvir o que foi dito pelos responsáveis da “Águas de Gondomar”: após um investimento a rondar os quatro milhões de euros a poluição do rio seria combatida.
As expectativas não se concretizaram. Desiluda-se quem pensou que haveria uma mudança na situação do rio.
Não se pode aceitar o argumento de que a ETAR está a trabalhar dentro da lei. Na realidade, o caudal do rio é baixo e não tem capacidade de diluição e depuração do efluente, o que levará à completa destruição do rio.
Por proposta nossa realizou-se uma Assembleia Municipal extraordinária que contou com a concordância de todas as forças políticas representadas naquele órgão autárquico. A Assembleia Municipal foi sem dúvida um momento importante de consciencialização do problema, mas não tomou as medidas que se impunham para impedir a anunciada destruição do rio.
A Câmara Municipal, e muito em concreto o seu presidente, tem que assumir que este é um problema político e exigir à “Águas de Gondomar” e à APA (Agência Portuguesa do Ambiente) o fim da poluição que continuadamente está a matar o rio.
É já mais do que tempo de sentar-se à mesa com estas entidades, não esquecendo também o Movimento em Defesa do Rio Tinto que tem tido um papel fundamental na denúncia deste atentado ambiental e tem vindo a propor medidas para a sua recuperação. Eis algumas medidas a tomar de imediato: 1.º – Vistoriar emissários de esgotos; 2.º – Cuidar da sua manutenção e realizar a limpeza das margens com técnicos preparados para o efeito; 3.º – Acabar com as ligações ilegais de águas residuais, há muito sinalizadas; 4.º – Impedir a junção de águas pluviais com águas dos esgotos domésticos e industriais; 5.º – Fazer o que faz falta, encaminhar a linha de águas residuais para a ETAR do Freixo.
Estas são ações indispensáveis para começarmos a acreditar que o Rio Tinto volta a ter vida. Este assunto diz respeito a todos e da nossa parte contarão sempre com o nosso empenho. O Bloco de Esquerda assume a defesa do Rio como prioritária para o concelho e, em particular, Baguim e Rio Tinto. Impõe-se que sejam tomadas todas as medidas que visem a proteção do património histórico, ecológico e ambiental que é de todos e de todas!
Assim, mais do que discutir outros problemas, é prioritário assegurar o respeito pela população e, como bem dizia a faixa que afixamos junto das ruínas do antigo mercado de Rio Tinto ao lado da ribeira da Castanheira, “Devolvam o rio às pessoas!”.

, ,