O saneamento básico é um direito dos gondomarenses

O acesso ao saneamento é um direito essencial ao pleno gozo de vida que está patente em diversos atos legislativos e políticos nacionais, europeus e internacionais.

Por esse motivo, esperamos que a Assembleia Municipal extraordinária, que teve lugar na União de Freguesias de Melres e Medas e por iniciativa conjunta dos deputados municipais da oposição, tenha sido clarificadora e consiga responder a algumas das questões que são colocadas pelos habitantes daquela freguesia e que têm sido fustigados com um dos valores mais elevados nas ligações de saneamento do distrito e da Área Metropolitana do Porto.

O Alto Concelho, e em particular as populações da União de Freguesias de Melres e Medas, merecem saber porque razão: não é atribuído um desconto considerável, tal como ocorreu no passado, em situações similares? Quando estarão, em pleno funcionamento, as ETAR’s de Melres e das Medas? As obras para abertura dos ramais, que possibilitam às ligações ao saneamento, têm mais de dez anos, demonstram desgaste nos equipamentos e já têm manutenção prevista? Uma parte considerável daquele território continua sem ramais, para quando esse acesso?

Com todas estas questões foram os melrenses surpreendidos com comunicações para pagamento de quantias avultadas, com datas limite de muito curto prazo, sem qualquer aviso prévio e sem esclarecimentos sobre os requisitos aplicados para os cálculos das medições uma vez que as mesmas apenas se referem a valores finais.

E sem que a Câmara Municipal de Gondomar tenha acedido ao pedido apresentado por parte do vereador da Coligação PPD.PSD/CDS-PP “Gondomar no Coração”, Dr. Rafael Amorim, para que o Conselho de Administração das Águas de Gondomar pudesse, numa reunião de câmara, explicar as discrepâncias e as dúvidas existentes.

A nossa coligação tem defendido verdadeiras políticas de discriminação positiva para evitar a desertificação do Alto Concelho.

Temos taxas de IMI cada vez mais altas, dificuldades nos transportes, nas redes viárias e perdemos população. A Câmara Municipal de Gondomar deve olhar para o saneamento básico como uma forma de discriminar, positivamente, aquele território. Se não tivermos políticas de incentivo para o Alto Concelho então, a breve trecho, vamos perder a maior riqueza dos nossos territórios. As pessoas.

,