Orçamento Municipal 2019

Fecha-se o ano, fazem-se balanços, e prepara-se o novo que aí vem. E à semelhança do que fazem as empresas, e do que fazemos nós próprios em casa, também a Câmara Municipal prepara a gestão do seu orçamento, com vista a controlar as despesas, a rentabilizar da melhor forma os seus recursos (sempre limitados), e fazer aquilo para que foi eleita, ou seja, fazer face às necessidades do seu concelho, bem como executar os melhores investimentos em prol do desenvolvimento do Município e da melhoria da qualidade das suas gentes.

Todas as obras, todos os projetos, todas as ações a serem desenvolvidas, estão claramente definidas pelo executivo, e patentes na elaboração do Orçamento, onde usando a alegoria da balança, são pesadas as receitas e as despesas, para resultar num Orçamento de equidade, equilíbrio, ponderação e igualdade.

Ao grupo parlamentar do Partido Socialista de Gondomar parece evidente da análise ao Orçamento Municipal a atenção dada a projetos de cariz estrutural, essenciais ao desenvolvimento físico, social e económico do território de Gondomar, bem como a preocupação pela melhoria da qualidade de vida dos seus munícipes.

Por um lado, há uma linha clara de estruturação do que concerne ao investimento que tem no turismo a sua maior aposta, em linha direta com a realidade que observamos atualmente em todo o território nacional. Gondomar faz assim uso das suas grandes riquezas naturais e impõe-se ao roteiro do grande Porto.

Contudo, não ficam de fora as verbas pensadas para a intervenção no nosso vasto parque escolar, na reabilitação de edifícios de habitação social, conservação e requalificação de arruamentos, nem a preocupação em chamar à responsabilidade quem tem que obrigatoriamente expandir a cobertura da nossa rede de saneamento, o fecho dos sistemas de águas residuais do rio Ferreira, ou a efetiva conclusão do Intercetor de Rio Tinto. Medidas estas realçadas de um conjunto muito vasto de outras que visam a melhoria do nosso concelho em todas as frentes.

E já antevendo as vozes que se levantarão a dizer que o investimento é necessário, mas que a população é a maior riqueza da nossa terra, parece-nos evidente que este executivo, ao longo destes dois mandatos tem mostrado isto de forma inequívoca, fazendo muito mais do que foi feito até hoje em Gondomar, e provavelmente até mais do que estaria ao seu alcance visualizar quando tomaram posse em 2013 e se deparam com as pesadas heranças.

Para além de continuar a apostar na medida do IMI Familiar, a taxa diferenciada que visa a discriminação positiva ao alto concelho, medidas estas que em nada colidem com as isenções dos gondomarenses que auferem de baixos rendimentos, a Câmara Municipal de Gondomar compromete-se neste Orçamento a devolver 0,5% do IRS, na parte deste imposto que é destinada à autarquia, como um inequívoco e real apoio às nossas famílias.

Em suma, um Orçamento Municipal estruturado, realista, e pensado para quem realmente interessa: os gondomarenses.

, ,