Os feriados, a maioria PSD-CDS e o PS

Com este Governo PSD-CDS, as pessoas passaram a pagar mais impostos, a receber menos ao fim do mês, a trabalhar mais horas por semana, a ter menos dias de férias e, de uma forma geral, a ter menos direitos e menos serviços públicos.
Como se esta ofensiva contra quem trabalha não fosse suficiente, o Governo decidiu ainda eliminar quatro feriados nacionais obrigatórios. Ora, com a eliminação destes feriados, o Governo colocou os portugueses a trabalhar mais quatro dias por ano sem qualquer acréscimo em termos de remuneração, favorecendo assim, apenas e tão só, as entidades empregadoras, apesar das consequências negativas que decorrem para quem trabalha, não só a nível salarial, mas também ao nível dos direitos ao repouso e ao lazer e “baralhando” ainda mais a conciliação do exercício profissional com a vida familiar das pessoas.
Acresce ainda que os motivos de natureza económica que o Governo evocou para a eliminação dos feriados, não têm qualquer fundamento credível, desde logo porque os estudos mostram de forma muito clara que trabalhar mais pelo mesmo salário nada acrescenta em termos de produtividade, sendo praticamente “neutro” para a economia do País.
Por fim, a decisão do Governo de eliminar os feriados representa, ainda, um sintoma do desprezo com que o Governo olha para a nossa cultura e para a nossa história.
Seria, pois, de toda a oportunidade e de toda a justiça para quem trabalha, mas também para a nossa história e para a nossa cultura, proceder à restituição dos quatro feriados obrigatórios que o atual Governo eliminou.
E o mesmo se diga relativamente ao Carnaval. Como sabemos, este Governo veio interromper uma tradição fortemente enraizada nos Portugueses, festejar o carnaval.

Esta decisão do Governo, para além de vir contrariar as dinâmicas sociais, económicas e culturais de muitas comunidades e localidades, levou ainda à situação caricata de termos uma terça-feira de Carnaval na qual meio País está parado e meio país a trabalhar, sendo que a parte do País que trabalha, fá-lo a “meio gás”, porque não há correio, já que os CTT estão encerrados, os bancos não chegam a abrir e a oferta de transportes públicos é igual à oferta dos fins de semana.
Face a este quadro, “Os Verdes” apresentaram na Assembleia da República duas iniciativas legislativas: uma para restituir aos portugueses os feriados obrigatórios eliminados por este Governo e outra no sentido de tornar a terça-feira de carnaval como feriado obrigatório.
Os partidos da maioria, PSD-CDS, assim como PS, não quiseram…

, ,