Para eles nunca há justiça!

Por Rui Nóvoa

Veio a público através da comunicação social o que há muito qualquer cidadão já sabia, Ricardo Salgado ordenou contas falsas junto do banco de Portugal.

Segundo o jornal ‘Expresso’, não existe um único administrador do banco Espírito Santo que não tenha sido alvo de acusações por parte do Banco de Portugal.

As acusações abrangem três empresas (BES, ESFG, Espírito Santo Financial Group) e ESAF (Sociedade Gestora  do Grupo).

O testemunho de Pierre Butty, ex-administrador da Espírito Santo Services na Suíça terá sido essencial provando a prática de atos de gestão ruinosa em determinação dos clientes do BES colocando produtos no mercado sem qualquer valor.

Diz o ‘Expresso’ que o supervisor tem provas documentais de que Ricardo Salgado ordenou que a contabilidade da ESI, fosse falsificada o que mostra que Ricardo Salgado mais uma vez mentiu junto da comissão de inquérito parlamentar.

Perante estes crimes, ficamos a saber que quando muito poderá ser-lhes aplicadas umas coimas que podem ir até aos cinco milhões de euros, no caso das instituições e até aos dois milhões no caso de pessoas singulares, e caso sejam acumuladas condenações o cúmulo jurídico vai até o dobro da pena, em relação às inibições do exercício da atividade em que estas podem atingir até um máximo de 10 anos.

As ditas entidades reguladoras o que fizeram foi dar lhe toda a liberdade para que anos a fio pudesse orquestrar toda esta verdadeira vigarice, levando à ruína milhares de pequenos investidores e, em grande escala, a economia já que, com a falência do banco, milhares de pequenas empresas ficaram sem crédito para poderem trabalhar.

O Bloco de Esquerda apresentou há dias um conjunto de propostas para acabar com esta “pouca vergonha”, permitindo que os Ricardos Salgados continuem a enriquecer sem que nada lhes aconteça.

Convêm não esquecer o papel do Presidente da República, ao dizer que os portugueses podiam confiar no BES e passados poucos dias veio dizer que não tinha nada a ver com a situação, é uma vergonha!

Ao contrário do que o Governo PDS/CDS gosta de dizer de que a culpa do País estar assim é dos portugueses que gastaram acima das suas possibilidades isso é a maior mentira quem tem gasto acima das suas possibilidades são os bancos esses sim que têm recebido deste Governo muitas centenas de milhões de euros e não as pessoas como este Governo nos quer fazer crer.

Como diz o Bloco e bem, é difícil dizer neste processo onde é que termina o Ministério das Finanças e onde começa do Banco de Portugal.

A recente decisão de nomear o novo governador do Banco de Portugal, não tem a ver com o bom funcionamento da instituição e muito menos com a boa regulação, é sim o Governo a pagar o favor ao homem que muito tem ficado com as dores que também são do Governo, as da solução para o BES.

Está montado um esquema que premeia o assalto da banca ao país, até quando vamos permitir a continuação do roubo?!

, ,